Câmara da Ponta do Sol distribui verbas pelas Juntas de Freguesia

Foram hoje assinados os contratos interadministrativos com as Juntas de Freguesia do concelho da Ponta do Sol. Estiveram presentes a presidente de Câmara, Célia Pessegueiro, eleita pelo PS, e os presidentes de Junta de Freguesia João Campanário, eleito pelo PS para a Ponta do Sol, Ivo Ribeiro, eleito pelo PSD para a Madalena do Mar e ainda Norberto Pita, eleito pelo PSD para os Canhas.

A transferência de aproximadamente 150 mil euros é distribuída de acordo com a área, população e um factor correctivo que compense as freguesias mais afastadas do Centro e reforce as transferências de Estado, explica-se.

Assim, a freguesia dos Canhas contará com 48 300 euros, a da Madalena do Mar com 42 103 euros e a freguesia da Ponta do Sol  com 51 746 euros, o que reflecte um aumento de sensivelmente 5 mil euros em cada freguesia, desde 2017.

“Desde o início do mandato que aumentamos os apoios às Juntas, tendo como orientação o princípio da não-discriminação, a descentralização de competências e o respeito pela autonomia das freguesias. Tivemos um relacionamento profícuo em que as pessoas saíram beneficiadas. Só lamentamos que não aconteça ainda o mesmo com o relacionamento com outros Órgãos de Governo Regional”, referiu a presidente da Câmara da Ponta do Sol, uma vez assinados os contratos.

A CMPS refere que este é o maior valor alguma vez atribuído, e resulta da assinatura de contratos interadministrativos entre a Câmara e as Juntas de Freguesia, com o compromisso de aplicação deste dinheiro nas áreas de actuação da Freguesia, com destaque para a reconstrução e reparação de veredas e levadas, colocação de varandas e varandins e recuperação de mobiliário urbano na área de cada freguesia.

Desde o início deste mandato, a Câmara já transferiu mais de meio milhão de euros para as Juntas de Freguesia do concelho, numa clara aposta na descentralização de competências com os meios financeiros adequados para que possam desenvolver as freguesias e corresponder às necessidades da população, insiste a edilidade.