PCP denuncia Centro de Saúde da Calheta a funcionar “a meio gás”

O PCP marcou hoje presença junto ao Centro de Saúde da Calheta para denunciar o facto de que sete meses após a inauguração desta importante unidade de saúde na zona oeste da Madeira, o serviço de internamento continua sem funcionar.

Nesta iniciativa o deputado do PCP, Ricardo Lume, referiu que “muitas das pessoas que estavam internadas no Centro de Saúde da Calheta, antes do início das obras de beneficiação desta infraestrutura, foram transferidas para outras unidades de saúde em São Vicente e em Santana com o compromisso de que após a conclusão das referidas obras regressariam para o Centro de Saúde da Calheta”.

Já passaram sete meses desde a reabertura do Centro de Saúde, mas lamentavelmente ainda não estão no activo todas as valências que existiam antes das obras de beneficiação que custaram cerca 3.382.624,94 euros.

“É inconcebível que ainda não esteja em funcionamento o serviço de internamento, fazendo com que os utentes do concelho da Calheta, que precisam deste serviço, sejam deslocados para outros concelhos longe da sua residência e do seu meio familiar. Esta realidade faz com que os próprios familiares tenham dificuldades em visitar os seus entes enfermos, pois em muitos casos têm de se deslocar para outros concelhos, como por exemplo São Vicente e Santana, muitas vezes de transportes públicos com todo o tempo e custos que tais deslocações comportam”, diz o PCP.

Tendo em conta esta realidade, o PCP vai questionar o Governo Regional sobre os motivos que levam a que o serviço de internamento do Centro de Saúde da Calheta permaneça encerrado. “Vamos intervir no sentido de garantir que todas as valências desta unidade de saúde estejam efetivamente ao serviço da população”, promete o partido.