Edgar Silva põe em causa protecção ao pombo torcaz e diz que “agricultores não podem ser abandonados”

A CDU levou hoje a cabo uma iniciativa política na Camacha, designadamente, nos sítios do Ribeiro Serrão e Rochão, com agricultores que experimentaram graves prejuízos provocados pelo “Pombo Torcaz”, uma espécie protegida por via de legislação regional.

Edgar Silva, Coordenador Regional,  disse que Governo Regional da Madeira defende o pombo torcaz, mas questionou quem defende o agricultor.

“É inadmissível que sejam os agricultores da Região a pagar a factura dos custos inerentes à especial protecção garantida ao pombo torcaz. Não é justo que da parte do Governo Regional persista uma indiferença tão grande aos dramas sociais que fustigam o mundo rural e a agricultura familiar. Quando está em causa a luta pela sobrevivência da pequena agricultura, para a CDU torna-se indispensável concretizar medidas concretas e eficazes para proteger os agricultores. Se o pombo torcaz tem protecção especial, os agricultores não podem ser abandonados”, sentencia o dirigente da CDU.

Na visita efectuada aos terrenos agrícolas com produção destruída pelo pombo torcaz, a CDU anunciou um conjunto de medidas políticas e legislativas que serão levadas ao Parlamento Regional no sentido de dar resposta resolutiva aos problemas sentidos pela agricultura familiar e pelo mundo rural.

Do contacto mantido com os agricultores ressalta, como refere Edgar Silva, “que nenhuma das frágeis estratégias aplicadas pelo Governo Regional para tentar afugentar o pombo torcaz dos terrenos agrícolas serve para evitar danos à produção e aos produtores. Já de pouco servem os brinquedos que o Governo Regional sugere aos agricultores. De facto, mais não são do que formas de brincar e de tentar iludir quem está farto de “trabalhar para o pombo”.