Miguel Albuquerque agastado com as grandes superfícies comerciais

Miguel Albuquerque mostrou-se hoje agastado com o que se verifica nas grandes superfícies como centros comerciais. No decorrer de uma visita que ontem efectuou a uma destas grandes superfícies, denunciou, deparou com uma situação inaceitável, com o local cheio de gente atarefada em compras para a época natalícia, sem cumprirem com medição de temperatura, distanciamento nem outras regras necessárias.

“Pagaremos muito caro em termos de saúde pública a nossa potencial irresponsabilidade” nesta época de Natal e fim-de-ano, declarou, num alerta no qual considerou ser compreensível que os cidadãos estejam “saturados com esta situação”, que já se prolonga há dez meses, mas é necessário continuar a enfrentar os desafios colocados pela Covid-19, afirmou. Nesse sentido, deu conta de um “último aviso” às grandes superfícies, que, se não implementarem medidas de limitação de entradas e cuidados acrescidos, serão pura e simplesmente fechadas.

“Quando se vislumbra no horizonte próximo a vacina, não podemos de forma alguma, deitar tudo a perder”, disse o presidente madeirense, para quem os bares e restaurantes, que anteriormente estavam a mostrar cumprimentos desrespeitosos das regras sanitárias, agora estão a portar-se melhor, não acontecendo, lamentavelmente, o mesmo com supermercados e centros comerciais.

Actualmente, na RAM, há 48 cadeias de transmissão de Covid-19, conhecidas e activas. Mas o nível de infectados e de óbitos, por cem mil habitantes, é “claramente inferior a Portugal continental e aos Açores”. Portugal continental tem 3633 casos por cem mil habitantes, e a Madeira 480.

Albuquerque adiantou ainda que a capacidade de realização de testes na RAM tem sido constantemente reforçada e adequada às necessidades.

Até ontem, o Laboratório de Patologia Clínica do SESARAM já efectuou 205.170 testes, “um trabalho notável”. Nos laboratórios do continente contactados pela Madeira já foram efectuados até ontem, 46.513 testes. Destes, 252 com resultado positivo, o que “corresponde a evitar o desembarque na Madeira de dezenas e dezenas de infectados”.

Actualmente, a média de testagem no laboratório regional do SESARAM é superior a 2 mil testes por dia. “Quando começámos, esta capacidade era de apenas 5o testes por dia”, referiu ainda.

“Na Região, temos uma média de testes realizados por cem mil habitantes, de 76.648; no continente, é de 47.960. Para quem dizia, como cheguei a ouvir, que a Madeira testava pouco, aqui está a prova em contrário”, disse Miguel Albuquerque.

O chefe do Executivo madeirense referiu-se ainda à necessidade do segundo teste a quem chega à Madeira, o que significa que qualquer pessoa tem de permanecer pelo menos cinco dias na RAM antes de efectuar o segundo teste, afirmando que esta resolução do Governo mantém-se e não vai ser alterada.

“Acho estranho, incompreensível”, que haja pessoas com dificuldade em cumprir esta determinação, adiantou, “quando está em causa a vida e a saúde dos seus familiares e contactos mais próximos”.

Confrontado pelos jornalistas com o relato de indivíduos que chegam à Região e já circulam pelas ruas antes de saberem o resultado do segundo teste, considerou que as autoridades policiais têm de actuar no caso de haver denúncias dessas situações, e que isso mostra grande irresponsabilidade de quem faz tais coisas.

“Foram já realizados 3779 testes, estando agendados para os próximos dias os restantes. 11 foram detectados até agora como positivos, o que atesta a importância desta medida, relativamente à contenção de novas cadeias de transmissão na Região”, declarou.

Por outro lado, dando conta da capacidade instalada no Hospital Dr. Nélio Mendonça, na área dedicada aos doentes Covid, disse que estão neste momento disponíveis 65 camas, das quais 20 estão ocupadas. “Numa outra unidade dedicada aos suspeitos Covid-19 no mesmo hospital, temos 25 camas, das quais actualmente 10 estão ocupadas”, informou.

Ambas estas áreas dedicadas ao Covid podem duplicar a sua capacidade em camas, acrescentou, em 24 horas, de for necessário.

Na primeira quinzena de Janeiro de 2021, será realizada uma nova Unidade por baixo do Serviço de Urgência, com 12 quartos individuais com pressão negativa.

Referindo-se aos surtos que surgiram nos lares e instituições de saúde, foram tomadas medidas restritivas adicionais, como a proibição de visitas alargadas, e intensificação da testagem de profissionais, utentes e visitantes, e restrição da circulação de profissionais entre centros de saúde e lares.

Albuquerque recomendou que não se façam almoços e jantares que juntem mais do que as famílias que residem na mesma casa, que se evitem viagens desnecessárias e que seja exercido grande cuidado nos contactos com familiares mais idosos.

Questionado pelos jornalistas sobre o caso do piloto madeirense que veio à Madeira dar um seminário e que participou num jantar-convívio sem ter aguardado o resultado do teste (que deu positivo), referiu que as instâncias governamentais ligadas à saúde apresentarão queixa-crime por esta situação.