Protecção Civil de Câmara de Lobos e PSP realizam acção sensibilizadora junto dos bares

O Serviço Municipal de Protecção Civil e a Polícia de Segurança Pública estiveram hoje na baixa da cidade, numa acção de sensibilização junto dos comerciantes locais, para a adaptação das novas medidas decorrentes da Resolução n.º 839/2020 do Conselho de Governo, em vigor desde o passado dia 6 de Novembro.

O Município de Câmara de Lobos, “consciente do papel de destaque que se encontra reservado ao domínio da Segurança, Saúde Pública e Protecção Civil e dando continuidade ao seu empenho numa política de bem-estar, salvaguarda e protecção da Comunidade”, realizou a dita acção, que incidiu sobre as limitações previstas para os estabelecimentos de restauração, de bebidas e similares, nomeadamente a nível das restrições à capacidade máxima dos espaços, os limites impostos ao número de pessoas por mesa, assim como ao cumprimento das condições higio-sanitárias consagradas em diplomas conexos.

“Durante a visita foi possível verificar que a maioria dos estabelecimentos já cumprem as regras definidas a nível da disponibilização de dispensadores de solução desinfectante à base de álcool à entrada, distanciamento físico ente mesas e uso de máscara. No entanto, e de acordo com as novas regras, os estabelecimentos deverão também garantir a redução em 1/3 da sua capacidade, através da diminuição do número de lugares disponíveis quer no interior quer nas esplanadas dos mesmos”, refere-se.

Até à próxima sexta-feira, a PSP percorrerá todos os estabelecimentos comerciais do concelho, numa acção pedagógica no sentido de sensibilizar para a necessidade de adoção das novas regras decorrentes das normas emanadas pelo IASAUDE.

Durante a visita, o edil Pedro Coelho alertou os comerciantes para a necessidade de adaptação dos espaços às novas normas, apelando à colaboração dos comerciantes enquanto agentes de saúde pública: “ A redução do número de lugares disponíveis é uma medida preferível ao encerramento dos estabelecimentos por via do eventual agravamento da situação. Os estabelecimentos do concelho, na sua generalidade, cumprem já com as regras decorrentes da norma anterior e tenho a certeza que adotarão as novas medidas de forma rápida. Esta não é uma resolução que parte do Município, mas não podíamos deixar de sensibilizar os comerciantes locais para as novas medidas de forma a evitar incumprimentos involuntários que poderão conduzir a contraordenações em caso de fiscalização.