Rui Barreto anuncia abertura de concurso ao programa “Garantir+”

O secretário regional da Economia, Rui Barreto, anunciou um apoio complementar ao salário dos trabalhadores abrangidos pela redução temporária do período normal do horário de trabalho (lay-off). Foi à margem da visita à empresa AG Consulting, no concelho de São Vicente. O governante disse que ainda no decorrer desta semana o Governo Regional abrirá o concurso ao programa Garantir + “para apoiar as empresas que estando em lay-off parcial e têm de reduzir o período normal de trabalho por força das quebras da sua faturação, têm um custo de 30% com as horas não trabalhadas”.

O Instituto de Desenvolvimento Empresarial (IDE) é a entidade responsável pela recepção de candidaturas. A principal condição para aceder a este apoio é a manutenção dos postos de trabalho. O programa lançado pela Secretaria Regional da Economia conta com uma dotação global de 2 milhões de euros.

Relativamente À empresa visitada esta manhã, a AG Consulting, trata-se de um negócio fundado em 2018 por António Gonçalves, um jovem de 26 anos, natural de São Vicente. Apesar de recente, é um negócio que, segundo o empresário, já atinge seis dígitos de faturação, informa um comunicado alusivo.

Acompanhado pelo presidente da autarquia local, José António Garcês, o secretário regional da Economia elogiou o jovem empresário “altamente qualificado” que, tendo complementado a sua formação na República Checa e trabalhado na Alemanha, “podia ter ficado nesses países que são muitíssimo mais desenvolvidos, mas sentiu apelo da terra e a partir de São Vicente e de uma região insular e ultraperiférica, presta serviços exclusivamente internacionais, fazendo planeamento financeiro e consultadoria a empresas de renome, tais como a Visa”, realçou.

Para o governante, este é apenas um exemplo de como é possível, a partir de uma região como a Madeira, desenvolver actividade para o exterior em áreas como a tecnologia, consultadoria, planeamento fiscal, apoio financeiro ou consultadoria financeira. “Esta pandemia fez-nos abrir os olhos para essa realidade e está-se a tornar um acelerador deste tipo de serviços digitais que podem ser feitos remotamente para outros países”.

Em São Vicente, a Linha Investe RAM apoiou até à data 51 empresas no valor de 806 mil euros, tendo ajudado a manter 338 postos de trabalho. Os dados foram avançados pelo secretário regional, que recordou ainda que a segunda fase desta linha de crédito encontra-se aberta desde a segunda quinzena de Outubro, permitindo às empresas que concorreram à primeira fase dobrar o valor do empréstimo.

Outro apoio que em breve estará disponível é o SI Funcionamento. “Estamos a preparar um apoio aos custos fixos” disse Barreto, lembrando que esta medida está dependente do empréstimo dos 458 milhões, “mas o Governo da República, infelizmente, andou-nos a empatar a vida”, criticou.

O secretário da tutela prevê abrir o aviso do SI Funcionamento em Dezembro. O objectivo é apoiar na cobertura de custos, tais como salários, TSU, água, energia, vigilância, ou comunicações e que são hoje o principal “drama” para as empresas com quebras na faturação devido à pandemia.

Barreto garante que o Governo estará “lado a lado” com as empresas e com os seus trabalhadores, mas é contra discursos “ilusórios”.

“Eu não vou fazer discursos ilusórios, nós vamos passar uma fase muito difícil. Esta é a fase da resistência, nós vamos estar lado a lado, vamos apoiar naquilo que nos for possível até ao limite porque este é o momento de apoiar as empresas e de apoiar os trabalhadores”, concluiu.