A caminho das Autárquicas de 2021 (Estreito da Calheta)

O Estreito da Calheta é uma freguesia do concelho da Calheta com 13,4 km² de área e 1.607 habitantes, segundo o Cenos 2011.

A atividade dominante é a agricultura, com as culturas da vinha e da cana-de-açúcar a assumirem um papel fundamental.

A ribeira de São Bartolomeu, a leste, divide o Estreito da Calheta da Freguesia da Calheta e a Ribeira Funda, a oeste, divide-a da Freguesia dos Prazeres.

Politicamente falando, não chegam a mil os habituais votantes da freguesia do Estreito da Calheta.

No concelho e na Região é uma das freguesias mais fiéis ao PSD.
Aqui o PSD nunca obteve resultados eleitorais inferiores a 60%.

O mais ‘magro’ resultado para o PSD foi nas Autárquicas de 2001 (61,2%). Nessa altura enfrentou uma coligação entre CDS e PS que conseguiu uma fatia de 35.6% do eleitorado.

Patrício Agrela conseguiu o melhor resultado de sempre para o PSD nas últimas Autárquicas de 2017.

O resultado mais expressivo conseguido pelo PSD foi precisamente nas últimas Autárquicas de 2017 (85,30%).

Por aqueles lados, a esquerda tem dificuldade em afirmar-se.
O melhor resultado alguma vez alcançado pelo PS foi nas Autárquicas de 2009 (17%). E mesmo coligado com o CDS, o que aconteceu por duas vezes, em 2001 e 2005, os dois juntos não lograram tirar o poder da Junta ao PSD.

A implantação do PS no Estreito da Calheta é tão baixa que nem concorreu à Assembleia de Freguesia nas Autárquicas de 2013 e 2017. O mesmo sucedeu em 1997, 1982, 1979 e 1976.

Do lado do CDS, o melhor resultado foi alcançado em 1997 (27,8%) e o pior em 2017 (8,57%).

Nas últimas Autárquicas de 2017, o PSD conseguiu 85,30% (766 votos) reelegendo Jorge Patrício Rodrigues Agrela.
O CDS obteve 8,57% (77 votos); a CDU 1,67% (15 votos); e o PTP 0,67% (6 votos).