PSD-M reuniu-se com o SEF para se queixar de “incompetência do Estado” que vitima imigrantes

Os deputados do PSD-M, acompanhados pelo núcleo de emigrantes, reuniram hoje com a directora regional do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras. Referiram na ocasião certas preocupações dos imigrantes que chegam à Madeira, e que necessitam de recorrer àquele serviço estatal.

De acordo com o deputado Carlos Fernandes, os problemas dizem respeito, sobretudo, a falhas no atendimento, via telefone e online, além das muitas queixas relativas ao atendimento nos balcões, o que, devido à actual situação, tem sido agravado, resultando em atrasos nos processos e gerando muita contestação, disse.

Exemplificou com o facto de os agendamentos de marcações implicarem uma demora ao telefone que, em alguns casos, garante-se, “chega a mais de duas horas”. Ao qual acresce o facto da espera por mais oito meses para obter a autorização de residência, o que na perspectiva social-democrata revela “a total incapacidade e incompetência do Estado na gestão destes serviços”.

Carlos Fernandes referiu também ainda que a maioria das dificuldades com que se encontram os imigrantes relacionam-se com processos enormemente burocráticos e dilatados, relacionados com situações que são da competência nacional.

Este parlamentar apontou, igualmente, que o Governo Regional tem percebido essa falta de respostas por parte das instituições do Estado, tendo ajudado as famílias a ultrapassarem algumas das dificuldades que têm sentido, possibilitando por exemplo, que as crianças possam frequentar as escolas enquanto a situação não é regularizada.