Paulo Neves defende mais apoio às comunidades na África do Sul e Venezuela

O deputado social-democrata Paulo Neves salientou, neste domingo, a necessidade do Governo da República reforçar o apoio às comunidades portuguesas residentes na África do Sul e na Venezuela, recordando a urgência de serem retomadas as ligações aéreas regulares àqueles países, a preços mais competitivos.

“Tanto do ponto de vista da saúde pública quanto a nível social e económico, a pandemia COVID-19 tem tido consequências altamente negativas também para as nossas Comunidades e é por isso fundamental que o Governo da República reforce todos os apoios e todas as respostas para minimizar estes impactos e garantir que nada falte a quem mais precisa, em países como a Venezuela e a África do Sul”.

Esta afirmação do parlamentar foi acompanhada de declarações salientando a importância do acompanhamento que os Governos Regional e Central têm de dar a esta temática: assim que a Assembleia da República retomar os seus trabalhos, Neves promete interrogar o Governo de António Costa acerca do que tem sido feito e do que se espera fazer, a curto e médio prazo, a favor destes cidadãos.

“Mal o Parlamento nacional abra portas, os deputados do PSD/M eleitos à Assembleia da República irão solicitar ao Governo Central o ponto da situação, pormenorizado, do que se passa com a comunidade na África do Sul e quais os apoios previstos”, declarou o social-democrata, questões que também se aplicam à Comunidade na Venezuela, onde “o Governo Português deve continuar a pressionar para que venha a ser encontrada uma solução política sólida e estável para aquele país”.

Paralelamente aos apoios, Paulo Neves lembrou a importância de serem retomadas as ligações aéreas regulares para com estas Comunidades.

”É fundamental que o Governo da República que agora manda na TAP – porque fez um processo de autêntica nacionalização da companhia – ponha os aviões a fazerem voos regulares o mais depressa possível, seja para Caracas seja para a Cidade do Cabo, na África do Sul”, argumentou o deputado, afirmando não fazer qualquer sentido que estes voos sejam esporádicos e praticados a preços excessivos, como é o caso de um ligação Caracas – Lisboa – Madeira a mais de 1000 euros.

Uma retoma que deverá ser feita rapidamente e garantindo que, “dos voos directos entre Lisboa e Caracas, um deles passe pela Madeira, como já aconteceu no passado, garantia essa que também deve alargar-se à África do Sul”, reforçou.

Paulo Neves que, na ocasião, abordou ainda o facto dos emigrantes poderem registar-se na Segurança Social Portuguesa e poderem usufruir destes serviços no futuro, uma boa solução que o PSD irá acompanhar e que considera oportuna e benéfica porque representa “mais uma forma de apoio, nesta fase”.