CMF investe 170 mil euros em nova acessibilidade ao sítio do Laranjal

A Câmara Municipal do Funchal deu início, na semana passada, a mais uma obra importante para a qualidade de vida da população nas zonas altas do concelho, nomeadamente na freguesia de Santo António. Trata-se do prolongamento do Caminho do Laranjal, um investimento de 170 mil euros da Autarquia e que será executado durante o próximo ano, melhorando a acessibilidade a moradias e terrenos para cerca de duas dezenas de famílias.

O Presidente Miguel Silva Gouveia visitou o início dos trabalhos e congratula-se por lançar no terreno “mais este investimento de proximidade com muito significado para a população residente, que esperava por esta nova acessibilidade há cerca de 30 anos, como me voltaram a transmitir agora que os trabalhos começaram”.

“Acreditamos que obras públicas com sentido, orientadas para a melhoria da qualidade de vida da comunidade, terão um papel decisivo no sentido de debelar a crise, protegendo empregos, garantindo a dignidade social e promovendo a prosperidade do tecido empresarial, e isso manifesta-se das obras mais pequenas às maiores, na linha do programa de investimentos públicos para a próxima década que já elaborámos, elencado a várias fontes de financiamento possíveis, o Funchal – Rumo 2030″, reforçou o Presidente.

A abertura de um novo arruamento no Caminho do Laranjal, na freguesia de Santo António, terá como principal objetivo permitir o acesso automóvel aos moradores e proprietários dos terrenos adjacentes ao atual acesso pedonal, sendo executada uma zona de inversão de marcha no final do arruamento a construir. Os trabalhos a executar incluem a movimentação de terras para a abertura da nova plataforma do arruamento, a construção de muros de suporte de betão ciclópico em escavação e em aterro e respetivos acabamentos, a construção de uma valeta que servirá de drenagem e canal de rega e, por fim, a pavimentação da faixa de rodagem em betuminoso.

Miguel Silva Gouveia acrescentou que “o volume de investimentos nas zonas altas do concelho ao longo dos últimos anos não tem paralelo. Este Executivo definiu como objetivo estratégico a redução das assimetrias no concelho, com vista a promover um desenvolvimento mais harmonioso do nosso território e a melhoria da qualidade de vida das populações, e os resultados estão à vista de todos”.

“Este ano, as dificuldades têm sido mais que muitas, sendo preciso recordar que, além da crise pandémica, tivemos pela primeira vez um Orçamento Municipal chumbado pelo PSD e pelo CDS em Assembleia Municipal, partidos que procuraram, com propósitos estritamente políticos, coartar o desenvolvimento do concelho. No entanto, o compromisso de quem governa a cidade é com os cidadãos, e é por isso que a CMF não discrimina ninguém. Em Santo António em especial, as obras que temos feito falam por nós”, disse o autarca, recordando intervenções no Caminho do Trapiche, no Boliqueime e na Vereda da Freirinha, entre as muitas repavimentações que foram feitas, as obras de saneamento ou a renovação de redes de água.