Santa Cruz emite nota a ironizar que “saloios” voltam a oferecer transporte até às escolas

A Câmara Municipal de Santa Cruz emitiu uma nota na qual informa que o Governo Regional, depois de recusar abrir as cantinas escolares, como tinha sido solicitado pela edilidade, através da Secretaria da Educação, “recua e torna público, que “os alunos do 1º ciclo que pretendam usufruir das refeições da escola em regime de Take Way devem manifestar esse interesse até amanhã (hoje) às 16h. Os pagamentos são os mesmos como se frequentassem a escola”. A informação consta das redes sociais das escolas do concelho de Santa Cruz”.

“Fica assim bem claro o que motiva a acção do Governo Regional. Ou seja, não é o interesse público, mas sim a sua agenda política, com toda a certeza motivada pelo facto de terem concluído que, afinal, e usando as palavras do senhor Secretário de Educação, “os saloios” de Santa Cruz deram conta do recado com a distribuição de cabazes às famílias a quem o Governo fechou a porta das cantinas na pior fase da pandemia”, considera a autarquia.

“Por esta razão, e porque o que nos move não é a “sede de protagonismos” (novamente palavras do senhor secretário de Educação) mas sim o interesse das pessoas a quem juramos servir, os “saloios” de Santa Cruz informam que o transporte até às escolas para ir buscar as refeições pode ser garantido pela autarquia. As famílias que não têm forma de deslocar-se, pelos seus próprios meios, às escolas, devem contactar os nossos serviços sociais e solicitar esse transporte, através dos números 291 520 100/ 291 520 118, ou através do email social@cm-santa cruz.pt

“A Câmara de Santa Cruz lamenta esta forma de actuar do Governo Regional, bem como lamenta e recorda outras posições infelizes face à proposta de reabertura de cantinas apresentada pela Câmara Municipal de Santa Cruz. Lembramos que a maioria, por intermédio de Lopes da Fonseca (CDS) e Rubina Leal (PSD) consideraram inacreditável a pretensão do PS e também do JPP, de abrir cantinas em período de estado e emergência. Rubina Leal complementou que “foram aplicados cinco milhões de euros e há 16 instituições de solidariedade no terreno, em todos os concelhos, dando resposta a esta situação”.

“No entanto, depois de distribuídos sem critério tantos milhões pelos braços armados do PSD, afinal é preciso reabrir cantinas, como sempre defendeu a Câmara Municipal de Santa Cruz”, constata a edilidade, reiterando, contudo, que vai continuar a distribuir os seus cabazes a quem deles necessita, até porque as refeições nas escolas serão pagas, como informou a Secretaria da Educação.