Santa Cruz diz que “novo boy centrista” quer retirar “impostos do povo e do concelho” ao pedir isenção de IMI e IMT

A Câmara Municipal de Santa Cruz não gostou mesmo nada das declarações do recém nomeado presidente do Conselho de Administração da Madeira Parques Empresarias, Gonçalo Pimenta, indicado pelo CDS Madeira no âmbito da negociação do acordo de coligaçãop governamental na Região.

Num comunicado emitido há pouco, a autarquia liderada por Filipe Sousa refere que Gonçalo Pimenta “que ocupa um dos tachos da nova coligação PSD/CDS, já começa bem o seu mandato, cumprimentando com o chapéu alheio e seguindo a linha do roubo ao povo de Santa Cruz que já vinha sendo praticada pela anterior administração. Foi de passeio a Lisboa reclamar isenções de IMI e IMT para as empresas sedeadas nos parques empresariais.  Ou seja, não satisfeito com o roubo que está a ocorrer há décadas no Parque Industrial da Cancela, onde há a apropriação ilegal de prédios que pertencem aos santacruzenses, este novo boy centrista quer agora roubar impostos do povo e do concelho”.

Santa Cruz interroga: “Porque não reduzir as rendas principescas que as empresas pagam ao Madeira Parques e que servem para os ordenados dourados desta gente? Claro que isto não lhes assiste. Ciosos de defenderem os seus tachos e respetivos pagamentos, não se lembram de mais nada a não ser de deitar mão a impostos que são importantes receitas municipais.

A posição da Câmara santacruzense aponta que “estes novos nomeados não satisfeitos com o facto de estarem a ser pagos a peso de ouro com os impostos de todos nós, ainda querem subtrair o que pertence por direito à população. Continuamos, por isso, a aguardar a resolução do Parque Industrial da Cancela e a resposta à audiência que entretanto foi pedida.  Estamos esclarecidos sobre a natureza desta gente. E garantimos que tudo faremos para defender os interesses do concelho de Santa Cruz contra as investidas e a má fé”.