Deputados do PSD-M explicam abstenção com a “vitória no novo Hospital” mesmo que não haja nem mobilidade nem “ferry”

DEPUTADOS REPÚBLICA“A proposta do Orçamento do Estado para 2020 dá indicações de que o Governo da República pretende clarificar as dúvidas que o próprio criou, nos últimos quatro anos, sobre o financiamento do novo Hospital da Madeira”. Esta nova posição do Governo da República em relação ao financiamento do novo Hospital constitui uma vitória do PSD/Madeira porque vai ao encontro daquilo que nós, Deputados madeirenses, exigimos na última legislatura na Assembleia da República, a saber a correção das resoluções do Conselho de Ministros que pretendiam ilegitimamente deduzir o valor dos Hospitais dos Marmeleiros e Nélio Mendonça ao financiamento da República”.

Esta declaração pertence aos deputados do PSD_Madeira, que hoje decidiram abster-se na votação, na generalidade, do Orçamento de Estado para 2020, quebrando assim a disciplina de voto social democrata, atendendo a que a bancada do PSD votou contra. No fundo, os deputados explicam que a vitória do novo Hospital sobrepõe-se à “derrota” na alteração ao subsídio de mobilidade e ao “ferry”.

Sara Madruga da Costa refere que “existem, no entanto, compromissos assumidos pelo Governo da República que ainda não têm reflexo no Orçamento do Estado para 2020, como por exemplo a mobilidade aérea e marítima. Ao contrário do que o Primeiro-Ministro prometeu na Madeira, o Governo da República adia de 2020 para 2021 a regulamentação do subsídio de mobilidade prevista na Lei n.º 105/2019 de 06 de setembro da autoria do PSD/Madeira e que foi aprovada por maioria a 19 de julho na Assembleia da República”.

A deputada adiantou, ainda, que “no que diz respeito à mobilidade marítima, a proposta de lei do Governo sobre o Orçamento, não contém uma única referência em relação ao compromisso assumido pelo Primeiro – Ministro de financiar a ligação marítima por “ferry” (passageiros e carga) todo o ano entre a Madeira e o continente. Não obstante acompanharmos as considerações do nosso Grupo Parlamentar no que diz respeito às prioridades e às más opções de política nacional do Governo socialista neste Orçamento, o interesse da Região Autónoma da Madeira sobrepõe-se”.

Por estas razões, disse Sara Madruga, “o nosso voto, hoje, será um voto de abstenção. Transmitimos o nosso sentido de voto e a sua fundamentação ao líder parlamentar. Nós, os Deputados eleitos pelo PSD/Madeira, vamos continuar a lutar para que sejam cumpridos todos os compromissos assumidos pelo Governo da República e todas as legítimas reivindicações do povo da Madeira e do Porto Santo”.