João Lizardo afirma que repressão fascista na Madeira foi pior do que no resto do país

O PCP organizou ontem uma iniciativa de debate sobre a repressão do fascismo na madeira, que contou com a participação do advogado e investigador João Lizardo, visando lançar uma proposta de reflexão tendo como ponto de partida resultados de uma recente investigação sobre a dimensão da violência policial durante o regime de Salazar e Caetano.

João Lizardo afirmou que “na Madeira a repressão do regime fascista teve uma expressão muito mais vasta e ainda mais agressiva do que no resto do país”, registando-se “elevados casos de pessoas assassinadas pelo regime, de um número de presos com grande expressão social, e alguns processos envolvendo centenas de pessoas. Foi o caso dos processos decorrentes da Revolta do Leite, que nos anos 1937 e 1938 deram origem, num só processo, acerca de 500 arguidos e a prisões políticas”, referem os comunista

 Na sua intervenção, João Lizardo colocou algumas hipóteses explicativas para o facto de os ficheiros e arquivos da PIDE, na sua maioria, terem desaparecido, até o momento.

Esta iniciativa integra-se numa proposta política do PCP intitulada “Construir Memória”.