PSD-Madeira na homenagem a Sá Carneiro no 39º aniversário da morte do antigo líder o partido

PSD madeira sá carneiro c
Foto Rui Marote

FRANCISCO Manuel Lumbrales de SÁ CARNEIRO  morreu a 4 de dezembro de 1980, na sequência de um acidente de aviação, a aeronave onde seguia, com Amaro da Costa, do CDS, despenhou-se em Camarate. Tinha 46 anos de idade e ficou sempre a dúvida relativamente ao que se passou naquele dia e com aquele avião. Hoje, no dia em que se assinala o 39º aniversário da sua morte, o PSD-Madeira cumpriu uma homenagem habitual por esta altura, com o secretário geral do partido, José Prada, a depositar uma coroa de flores no busto na Avenida do Mar.

A figura de Sá Carneiro inspirou todos os líderes do partido, apesar do pouco tempo que teve de ação política, foi presidente do PSD entre 74 e 75 e primeiro ministro entre 3 de janeiro de 1980 e 4 de dezembro desse mesmo ano. Depois da morte, os ideais de Sá Carneiro mantêm-se vivos na memória social democrata, ainda que na prática existam críticos relativamente à aplicação desses mesmos ideiais.

Sá Carneiro foi licenciado pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, em 1956 e exerceu advocacia no Porto. A incursão na atividade cívica e política aconteceu primeiro num movimento e depois  integrando a lista da Ação Nacional  Popular.

Em maio de 1974, já depois do 25 de abril, fundou o Partido Popular Democrático (PPD), juntamente com Pinto Balsemão e Magalhães Mota. Tornou-se o primeiro secretário-geral do partido e, em outubro de 1976, após a reforma dos estatutos, o primeiro presidente do partido, que então passou a designar-se PSD.