Um legado indestrutível

Conheci o Sr. professor na Católica. Brilhante pedagogo, lógico na argumentação, conhecedor profundo do mundo jurídico.
Deixou-me o gosto pelo direito publico e pela importância do Estado de Direito.
Quando entrei para o CDS tinha acabado de deixar a presidência ainda no rescaldo da morte de Adelino Amaro da Costa e no definhar da AD.
Vim a encontrá-lo na campanha das Presidenciais de 1986. Estivemos naturalmente com ele, percorremos as freguesias da nossa terra e em comícios reunimos gente apostada em levar P’rá frente Portugal.
Foi vencido por pouco mais de um ponto percentual, mas marcou para sempre a direita política em Portugal. A derrota saiu-lhe cara e na Povoa de Varzim gritou “ala arriba” a um CDS esperançado no seu regresso. Tive com ele uma relação cordial e de enorme respeito e sei do seu interesse pelas autonomias e pelas causas madeirenses. Conversamos muito e apercebi-me da profundeza das suas convicções.
Há dias, li no seu ultimo livro de memórias uma referencia à minha pessoa. Recordou-se de um Congresso onde se começou a preparar um CDS menos centrista e mais convicto nos valores da direita.
Freitas do Amaral credibilizou a revolução de Abril. Trouxe o reconhecimento das democracias-cristas ao nascimento do Portugal democrático. Foi a esperança de muitos e a razão para continuarmos a acreditar que não estaríamos condenados a uma aliança política contrária aos valores nacionais.
Freitas do Amaral contribui para as grandes reformas na administração publica em Portugal. O Código de procedimento administrativo teve a sua assinatura e as reformas do contencioso o seu aplauso.
A vida pessoal e publica foi-lhe porém amarga. Na política esteve sempre no quase, sem nunca atingir o que a sua preparação e o seu perfil lhe destinava.  Em termos pessoais, atravessou momentos muito difíceis que o atormentavam.
Pilar da democracia, alicerce do novo direito publico em Portugal, o professor Freitas do Amaral não morre sozinho, mas despede-se cedo demais sem que lhe pudéssemos dizer OBRIGADO.
Que Deus o acolha e dê aos seus a serenidade e estabilidade que tanto o preocupava.
O seu legado é indestrutível.