PSD critica “apoio falhado aos incêndios de 2016” para acusar socialistas e a República

Os candidatos sociais-democratas da Madeira às próximas eleições vieram hoje prometer lutar “para que, de uma vez por todas, o Governo da República cumpra com o que prometeu no respeitante aos apoios que assumiu dar à Região para fazer face às consequências gravosas dos incêndios registados na Madeira, em 2016”.
Sérgio Marques declarou que esse apoio “nunca chegou à Região, pese embora as insistências levadas a cabo, a vários níveis, junto de um Estado que, mais uma vez, não soube atender nem muito menos acautelar as necessidades, neste caso básicas, dos seus cidadãos”. Em causa estavam investimentos essencialmente destinados à segurança das populações, relacionados, por exemplo,com as escarpas que precisavam de ser estabilizadas e com os meios de socorro que precisavam de ser reforçados, aos quais estas verbas seriam alocadas, conforme especifica um comunicado de imprensa.
“Até hoje, o Governo da República, apesar da sua promessa, feita em circunstâncias tão trágicas e dramáticas, não concretizou este seu compromisso e esta é, bem, a prova da falta de solidariedade do Governo da República para com a Região”, acusou Sérgio Marques, apontando que “este é, apenas, mais um exemplo da forma negativa com que a Madeira tem sido tratada, ao longo dos últimos quatro anos, por um Governo da República que não soube cumprir com o seu dever e tratou, não raras vezes, os madeirenses e porto-santenses como cidadãos de segunda categoria”. Apontando o dedo aos socialistas, por não defenderem, em seu entender, os interesses da RAM, exortou: ““A 6 de Outubro, é preciso votar em quem dá garantias de fazer valer os nossos interesses junto da República, em quem está disposto a lutar pela defesa dos nossos direitos e, não, em quem nada fez pela Madeira nem pelo Porto Santo”.