“Aliança” defende ferry todo o ano e Aeroporto do Porto Santo como alternativa ao da Madeira

A caravana do partido Aliança esteve hoje no no Aeroporto da Madeira Cristiano Ronaldo, onde o cabeça de lista às Legislativas nacionais apresentou as propostas do partido sobre a mobilidade aérea e marítima de e para a Região.

Referiu o candidato que o partido Aliança deu grande importância à mobilidade no seu programa eleitoral, porque entende que esta é uma das mais prementes necessidades da população, seja do ponto de vista económico seja do ponto de vista social. Como tal, declarou, “entendemos que o preço das viagens de e para a região atingiram valores incomportáveis para a generalidade dos cidadãos da Madeira e do Porto Santo”. Quando os governos da região, do PSD e da República do PSD, decidiram liberalizar o transporte aéreo, não analisaram um possível cenário de inflação das tarifas, que chegam a atingir valores superiores a 500 euros e que foram descritos como “pornográficos” por Miguel Albuquerque do PSD, diz o Aliança.

“Mais uma vez a inacção dos deputados regionais na Assembleia da República levou a que a proposta de alteração ao decreto (aprovada por maioria no parlamento regional) que regula a atribuição deste subsídio aos residentes e estudantes nas viagens para o continente (respectivamente 86 e 65 euros, cabendo ao Estado o restante) esteve meses algures na Assembleia da República e só no último dia da legislatura é que foi aprovada em votação final. O partido defende que o aeroporto do Porto Santo deve ser verdadeiramente o aeroporto alternativo ao aeroporto Cristiano Ronaldo, devendo o estado assumir as modificações necessárias na infraestrutura, assim como as alterações necessárias no porto do Caniçal para receber o ferry rápido entre o Porto Santo e a Madeira”, refere um comunicado de imprensa.

O Governo Regional deve ter a capacidade de construir e defender propostas de âmbito nacional que efectivamente beneficiem os portugueses no seu todo, razão pela qual a Aliança defende a ligação anual via ferry entre o Funchal – Lisboa – Ponta Delgada – Funchal em defesa do princípio inquestionável da continuidade territorial, previsto na Constituição da Republica Portuguesa.

A Aliança defende ainda a existência de um Comité Permanente Intergovernamental – que integre representantes do governo da República, e dos governos regionais da Madeira e dos Açores.

O cabeça de lista afirmou que o deputado da Aliança pela Madeira em todos os plenários subirá à tribuna para defender os assuntos regionais, assim como estará sempre disponível para responder perante o parlamento regional e para trabalhar em conjunto com os restantes parlamentares regionais na defesa dos direitos da população da região, independentemente da vontade nacional do partido.