Danilo Matos: 43 Anos de humilhações, insultos e ameaças, perdoados por um prato de lentilhas

Foto do Facebook

¡AF!

Danilo Matos publicou esta terça-feira, no mural do seu facebook, o seguinte texto:

“43 ANOS DE HUMILHAÇÕES, INSULTOS E AMEAÇAS

Perdoados por um prato de lentilhas

UMA VERGONHA!

  1. Vergonha é a palavra que mais se ouve pelas ruas da cidade. Rui Barreto, dirigente do CDS quer, à viva força, impor ao seu partido uma aliança governativa com Miguel Albuquerque para mais quatro anos do seu mandato. Ambos perderam nas eleições de domingo, o PSD a maioria e o CDS mais de metade do eleitorado; formam juntos uma maioria à tangente.
  2. Genesis 25-27 da Bíblia. Numa situação de fome, Esaú cedeu a Jacó, seu irmão, os seus direitos de primogenitura por um prato de lentilhas; é sempre um recurso bíblico, para desmascarar este tipo de negócios. A fome de governar de qualquer maneira é assim mesmo. Rui Barreto a fazer o papel de Esaú.
  3. A Madeira fez História no domingo que passou e daqui para a frente vai ser outra. Só a cegueira política dos interesses económicos e financeiros instalados não quer ver. Há quem ande a pescar nos Esaús, que são na actualidade os que perderam a coluna vertebral.
  4. O CDS é um partido que nasceu com uma forte origem na Democracia Cristã até chegar a uma coisa em que, do ponto de vista ideológico, já resta pouco daqueles ideais de homens como Amaro da Costa, Lucas Pires, Freitas do Amaral, Adriano Moreira, Rui Vieira, Cabral Fernandes, Baltasar Rebelo de Sousa e tantos outros que fazem parte de um património muito respeitável na história da nossa democracia. Distâncias ideológicas à parte, tive o privilégio de conhecer alguns e de ser amigo de outros.
  5. Nestes 43 anos de jardinismo, com 4 anos de fantasia e outras coisas que não devo dizer, mas que hão-de de ser ditas, o CDS foi um partido humilhado, gozado, enxovalhado e até perseguido, como foram os outros na oposição, a que Jardim tratava sempre por igual.
    Chegamos a esta altura em que Albuquerque oferece pratos de lentilhas e em que há dirigentes, neste caso Rui Barreto, que já subiu a Avenida do Infante com a marmita na mão a pedir a esmola do poder.
  6. Exige-se coerência, respeito pelo eleitorado, pela história e pelos eleitores. É uma rasteira, para não dizer traição, o que está a ser cozinhado. Os resultados das eleições são claros: pela primeira vez na Madeira é possível formar um governo democrático.

Devemos dizer aos jardinistas e a estes bajuladores, de que já ninguém se lembra o nome, que andam à volta de Miguel Albuquerque e de Pedro Calado que o tempo deles acabou.

E essa responsabilidade histórica está agora nas mãos do CDS.Se querem continuar numa Madeira autocrática ou iniciar um novo período, democrático, na história desta terra.

POR UM GOVERNO DEMOCRÁTICO QUE RESPEITE OS RESULTADOS E O SENTIDO DAS ELEIÇÕES

Danilo Matos
Santa Cruz, 24.Setembro.2019″