“Chega” inicia campanha para as legislativas nacionais

O partido “Chega” iniciou hoje a campanha para as próximas eleições legislativas nacionais, apresentando o seu programa nas zonas de Santo António e Madalena. Ali foram estabelecidos contactos com a populaçãop, numa conversa que, alegadamente, esclareceu sobre temas polémicos e que “têm de ser bem explicados como por exemplo a castração química a pedófilos e violadores reincidentes”.

“Temos que explicar que em países onde tal se aplica este tipo de crime é inexistente ou residual, em muitos casos o criminoso agradece”, afirma este partido.

Outro assunto que o “Chega” diz defender é a obrigação de os reclusos “trabalharem para pagar as despesas que o estado tem para com eles”, um tema “muito bem recebido, assim como uma das nossas bandeiras que é de diminuir o número de deputados na assembleia legislativa nacionais passando para 100”, segundo dá conta um comunicado.

O que está a ser mais difícil de explicar é a determinação do Chega numa nova constituição e em querer uma quarta república, diz uma nota enviada às Redacções.