“A pobreza não se combate com caridade, combate-se com salários decentes”, defende a candidatura do BE

BE iniicativa 5 de setembro“Miguel Albuquerque prometeu  aumento de verbas para as instituições que apoiam os pobres, ou seja se continuar a governar promete aumentar o número de pobres e as necessidades de apoios. O CDS reconhece as grandes  desigualdades sociais, o rendimento médio dos madeirenses mais baixo que no continente, o risco de pobreza mais elevado, que a maior parte das famílias nem ganha para pagar IRS. O que propõe? Aumento dos salários e das pensões, não, o CDS quer redução do IRS que vai beneficiar os rendimentos mais altos e aumentar as desigualdades. É hipócrita”.

Regionais 2019Esta posição foi hoje assumida pela candidatura do Bloco de Esquerda, que acusa o CDS de querer “dar mais dinheiro aos ricos”. “A pobreza não se combate com caridade, combate-se com salários decentes, com serviços públicos gratuitos e universais (saúde, educação) com bens essenciais mais baratos (eletricidade, transportes, a água) com respeito pelos tempos de trabalho e pelo tempo de lazer, para cuidar dos filhos e da família”.