Filipe Malheiro não reconhece a D. Nuno autoridade moral para falar de campanhas

É a segunda voz pública dissonante, depois de Guida Vieira.

Luís Filipe Malheiro também não gostou da abordagem política do bispo do Funchal na homilia da Festa do Monte.

“O Bispo do Funchal que se preocupe a resolver os seus problemas e da sua Igreja – alguns asquerosos e nada religiosos que exigem que alguém assuma a verdade e reconheça os pecados cometidos, para os que acreditam nisso…- e deixe a campanha eleitoral para os políticos”, escreveu no seu mural do facebook.

Segundo o ex-secretário-geral adjunto do PSD-M, “tempos novos, atitudes novas. E para falar há que ter autoridade moral que o silêncio perante escândalos não outorga a quem o reclama”.