CDU considera que estão ainda mais agravados os riscos de incêndio e de aluvião

A CDU realizou hoje uma acção política nas serras de Santo António, Funchal, visando alertar para os perigos e as ameaças que, em situação de aluvião ou de incêndio, pendem sobre as populações.

De acordo com o coordenador regional, Edgar Silva, “depois da aluvião de 20 de Fevereiro de 2010, e depois dos incêndios que se seguiram, que tanta destruição e desgraça provocaram, os governantes não foram capazes de intervir sobre muitas das causas do problema”. Para o dirigente comunista, “os perigos e as ameaças ainda estão mais agravados! No leito da Ribeira de Santo António os negociantes das pedreiras e britadeiras tratam dos seus negócios, pondo em perigo vidas e bens, sem que os governantes sejam capazes de agir e de defender o interesse público. Para além das criminosas intervenções no leito da ribeira, as plantas invasoras multiplicam-se pela serra, descontroladamente, sem que os governantes se ocupem em prevenir riscos e perigos maiores”.

“Mais parece que os governantes não aceitaram tirar lições da história de catástrofes. Depois dos milhões de euros a que a Região teve acesso para fazer face aos incêndios e à destruição provocada pela aluvião, é inaceitável que os perigos e as ameaças estejam hoje ainda mais agravados”, considerou.