“Rali nascido da vontade de afirmação do nosso povo”,é assim que Paulo Fontes define a prova que vai na 60ª edição

RALI
Paulo Fontes e Pedro Calado na conferência de apresentação do cartaz da histórica edição 60 do Rali Vinho Madeira.

Paulo Fontes, o presidente da comissão organizadora do Rali Vinho Madeira, considera que “este ano de 2019, temos muitas boas razões para recordar e celebrar. A mais antiga Instituição Desportiva da Região, o Centenário “Club Sports da Madeira”, comemora os seus “110 Anos de Vida” e apesar da sua longevidade, foi sempre o pioneiro das grandes realizações desportivas, na Madeira”. E lembra com uma frase que, não sendo nova porque já a utilizou anteriormente, é funcional em termos de comunicação relativamente à importância da prova que vai além do clube: “O Rali não é “do Madeira” é da “Madeira”.

Estas declarações fazem parte da mensagem de Paulo Fontes já publicada no site oficicial da prova, onde lembra que “a “Volta à Ilha da Madeira” precursora do Rali Vinho da Madeira, completa 60 anos, o que representa 60 Edições da Prova, sendo a prova automobilística mais antiga que se continua a organizar, anualmente, em Portugal, pelo mesmo Clube Organizador. Um “Feito” e um “Estatuto” que só é possível, orgulhosamente ostentar, porque, desde a primeira edição, as “Voltas à Ilha” foram bastante apoiadas e acarinhadas pelos madeirenses, que com a sua habitual generosidade e a arte de bem receber, rapidamente, fizeram com que as “Voltas à Ilha” ganhassem fama e projecção nacional e internacional. Hoje, com um vasto e rico historial e uma imagem e prestígio reconhecidos internacionalmente, este é o Evento Desportivo que, mais promove e projecta a Madeira, como Destino Turístico de Excelência”.

O “homem do leme”, que já faz parte da história da própria competição, vinca o facto que o Rali Vinho da Madeira 2019 manter o estatuto de Prova FIA-IRT e do Campeonato Nacional e de Coral de Ralis da Madeira, conservadno assim “altos padrões de organização e de segurança sendo considerado um dos melhores ralis, em asfalto”.

Por outro lado, diz Paulo Fontes, “a Madeira é hoje, um exemplo de desenvolvimento, modernidade e de crescimento económico e social sustentado, graças à conquista da sua Autonomia Política e Administrativa, que aliada ao querer, à força e à determinação do seu povo, rompeu com o seu histórico isolamento e a sua Insularidade, comemorando este ano, os “600 Anos de Descobrimento da Madeira e Porto Santo”, como uma Região Autónoma que afirma e orgulha Portugal e a União Europeia”.

O presidente da comissão organizadora da prova faz referência ao modelo de desenvolvimento económico da Região “alicerçado no sector do turismo de qualidade”, tecendo elogios ao Governo Regional que “tem vindo a incentivar e a apoiar a Organização de Eventos que sejam capazes de promover e projectar a Madeira como Destino Turístico de Excelência, como reconhecido, nos últimos anos, pela World Travel Awards (WTA), como “O Melhor Destino Insular do Mundo”.

“E o Rali Vinho da Madeira faz parte dessa identidade de ser madeirense porque é fruto de Autonomia Política mas  nascido da vontade de afirmação do nosso Povo”

Nesta mensagem, “recorda que “são gerações e gerações, que, desde muito jovens, acompanham este grande Evento Desportivo. Não há um madeirense que não tenha uma “estória” para contar, vivida durante a sua juventude e ligada ao seu Rali. Nenhum outro Evento Regional, associa na perfeição, a promoção externa com a participação e o apoio das nossas gentes. Tornou-se uma festa popular e um forte dinamizador da sua Economia Interna.

E, este testemunho de afectividade e proximidade   com o seu rali, é passado entre as diversas gerações e respectivas famílias. Este valor imaterial de afeição dos madeirenses ao seu rali, é um enorme legado, que temos a obrigação de preservar e continuar a manter. Para isso, a equipa do Club Sports da Madeira renova energias e trabalha com verdadeiros profissionais para que todos os anos,  possa apresentar uma prova sempre renovada e adaptada às novas regulamentações da FIA/FPAK, com uma lista de concorrentes de qualidade e quantidade, para garantir não só a competitividade na luta pelos lugares cimeiros, da classificação geral, mas também, pelas diversas outras classes, o que faz que existam “outras lutas” e “ outros ralis” dentro do Rali Vinho da Madeira 2019”.

Cada concorrente faz o seu “Rali” e tem um objectivo bem definido na sua participação na Prova, nem sempre apercebido e aplaudido pelo público.

Fala do histórico dos pilotos e diz que existem grandes e de renome e fama mundiais que inscreveram o seu nome entre os vencedores das famosas “Voltas à Ilha” e do Europeu “Rali Vinho da Madeira”. “E continua a ser um desafio, para pilotos e público, participar ou assistir ao “Rali” que se desenrola ao longo das bonitas, sinuosas e floridas estradas da Ilha, que os conduzem rápidamente do mar à serra, entre vales e montanhas, cobertas dum asfalto suave. Novamente, este ano, vamos colocar este desafio aos diversos e bons pilotos que vão estar nas estradas da Madeira e a lutar pela vitória no nosso Rali”.

O Club Sports da Madeira agradece ao Governo Regional, às Câmaras Municipais da Região, aos Patrocinadores Oficiais e a todos os outros Patrocinadores e Empresas que mantêm uma parceria de muitos e bons anos, e a todos aqueles que colaboram com a Organização da Prova. Sem o empenho e contributo de todos, muitos no anonimato, não era possível colocar nas Estradas da nossa bela Madeira mais uma Edição do Rali Vinho da Madeira, a “Emblemática 60ª Edição da “Volta à Ilha da Madeira”.

Paulo Fontes formula um agradecimento “a todos os pilotos, concorrentes, membros da organização, colaboradores, forças policiais e militarizadas, de segurança, renovamos o nosso muito obrigado. Um especial agradecimento a todos os órgãos de comunicação social que irão estar presentes a fazer a cobertura da Prova”.