CDU denuncia “estado de inaceitável abandono” da Fonte da Areia

Fonte da Areia, registos fósseis da zona Foto Pedro Menezes
A suspensão do ponto 4 da suspensão parcial do PDM prende-se com a possibilidade de extrair inertes na zona da Fonte da Areia.

Num comunicado enviado à comunicação social, a CDU diz colocar “a maior veemência na denúncia das responsabilidades do Governo Regional e da Câmara Municipal do Porto Santo pelo estado de inaceitável abandono em que se encontra a Fonte da Areia, na ilha do Porto Santo”.

Refere a CDU que “na vertente norte da ilha do Porto Santo, a Fonte da Areia é um local de reconhecido interesse paisagístico e com importância científica e geológica. Ao longo de anos, a passagem de acesso para a Fonte da Areia encontra-se marcada por fortes condicionamentos, comportando riscos para a segurança dos visitantes. Aquela área, que deveria ser especialmente cuidada, pelo contrário, caracteriza-se pela falta de limpeza, com zonas bastante degradadas e ao abandono, para além da insuficiente informação”.

A Fonte da Areia, “um dos locais de particular beleza, tem os seus espaços públicos muito vandalizados, sem qualquer tipo de arranjo ou limpeza, sem qualquer vigilância para defender aquele património. Sendo a Fonte da Areia uma área classificada como património científico e geológico, é vergonhoso que os governantes permitam tamanha degradação da paisagem e desrespeito pelo património”.

Para a Fonte da Areia a CDU defende a elaboração de um Programa Extraordinário de actividades de conservação da natureza, para o qual o Governo Regional e a Câmara Municipal do Porto Santo deverão convergir.