Marginal da Madalena do Mar com apostas de verão mas à espera dos prometidos estacionamentos

Madalena do Mar
Os privados inovam mas desesperam pelos estacionamentos na marginal da Madalena do Mar.
Madalena do Mar Pirata
Além das condições públicas, o bar de praia Pirata Beach criou este ano uma novidade, um passadiço de acesso ao mar.
madalena do mar
Para a marginal está prevista a criação de uma zona de coexistência, de acordo com a proposta aprovada em reunião de Câmara.

A promessa de renovação da marginal da Madalena do Mar animou os comercicantes na zona e os muitos madeirenses que ali vão, mas a verdade é que, em termos de passos concretos, o problema dos estacionamentos subsiste e não se vislumbra grandes avanços para a época plena de verão que já se vive por aqueles lados, sendo essa afluência extensiva ao concelho da Ponta do Sol.

Parar o carro é um suplício e a PSP anda sempre por perto, naturalmente a cumprir a sua missão, mas a criar enormes constrangimentos a quem investiu na zona para o negócio, mas também para proporcionar alguma inovação numa freguesia que até há poucos anos, registava algum défice de investimento.

Este ano, depois da experiência bem sucedida em 2018, regressou à praia da marginal uma estrutura de verão, aprovada pela Câmara da Ponta do Sol, onde um comerciante, já com restaurante na zona, instalou uma área típica de bar de praia, o Pirata Beach, numa experiência diferente e um ambiente que tira partido do clima e do mar da Madalena. Este ano, um acesso mais fácil ao mar, constitui mais um passo em frente de um privado como complemento aquilo que a aposta pública faz com a criação de condições mínimas de abertura da época balnear, com chapeus de sol e passadiços, já instalados.

Mas este e outros investimentos de bares e restaurantes da marginal, debatem-se com um problema, o estacionamento. A solução parece já ter sido encontrada quando a Câmara aprovou a criação de zona de coexistência, por proposta da vereadora do CDS Sara Madalena, numa altura em que o PSD local também tinha em mãos uma outra proposta que, na opinião dos seus vereadores, era mais viável do ponto de vista de uma solução mais rápida, de resposta imediata. O consenso de se tratar de uma situação a intervir com alguma urgência, parece ser percetível, a execução será provavelmnete mais complexa.

A zona de coexistência pretende abarcar um conjunto de iniciativas lúdicas, bem como criar espaços de estacionamento. Na altura da aprovação, como o FN fez então referência, Sara Madalena disse que está prevista “uma profunda alteração ao nível da circulação de pessoas e automóveis na marginal da Madalena do Mar, salvaguardando sempre os locais de estacionamento que, neste regime, já poderiam ser utilizados com oda segurança na própria faixa de rodagem.

Sara Madalena referiu, então, três situações concretas que justificam a sua proposta. A existência imemorial de habitações, comércio e serviços no dito arruamento, antes mesmo da existência da via tal como hoje a conhecemos; o considerável fluxo de transeuntes, também apeados e em velocípedes sem motor e outros, atualmente superior ao automóvel; e também a utilização da zona da praia ali existente para aterragem de parapentes.

Segundo apurou o FN, a situação neste momento está em estudo, não havendo previsões quanto ao tempo de implementação.