Albuquerque responde a Costa e diz que “nada está resolvido, nem juros, nem mobilidade, nem preços pornográficos da TAP”

Miguel Albuquerque Estado da Nação
“Como o senhor primeiro-ministro não viaja para a Madeira, não tem de pagar os preços pornográficos da TAP”.

Miguel Albuquerque respondeu hoje ao primeiro ministro António Costa, que no debate do Estado da Nação, na Assembleia da República, disse a os assuntos pendentes com a Madeira estavam resolvidos. Os juros, as verbas para o Hospital, a mobilidade que só não foi alterada porque a Madeira não quis. O presidente do Governo nega tudo e elenca um conjunto de situações que se arrastam sem solução, algumas há três anos.

Albuquerque atribui as palavras de Costa em função “do tal país das maravilhas que o senhor primeiro ministro vive. Nenhum dos problemas relacionados com a assunção, por parte do Estado, das suas obrigações de continuidade territorial, está resolvido. Continuamos a pagar mais juros ao Estado. Depois, outra coisa que não está resolvida é o modelo de mobilidade. A única coisa que foi resolvida deveu-se ao Governo Regional e no que diz respeito às viagens dos estudantes, que não adiantam as verbas das passagens, como acontece com os restantes madeirenses. Se isso é estar resolvido, só se for na casa do primeiro ministro”.

O chefe do Executivo lembra que “só agora é que o PS fez uma cambalhota e aprovou a resolução sobre a mobilidade, que por si só não representa que o problema esteja resolvido. Quanto aos preços da TAP, como o senhor primeiro-ministro não viaja para a Madeira, não tem de pagar os preços pornográficos da TAP. Não está resolvido. Nem estão resolvido os subsistemas de Saúde, o Estado já deve à Madeira 17 milhões de euros, tem a ver com a PSP, GNR e Forças Armadas. Nem a questão da ADSE, relativamente à polícia, tem solução. Também as esquadras, também a Madeira adiantou o dinheiro para o helicóptero, como ferry está a operar com decisão do Governo Regional”.