“A partir de hoje não pagarei mais qualquer jóia à Ordem dos Médicos, exijo a demissão desta gente”, revela Rafael Macedo

Rafael Macedo: “Recusam-se a fazer auditorias clínicas mas queriam que eu desse processos clínicos para investigarem ou “branquearem” provas?”

O médico Rafael Macedo, que se encontra suspenso das suas funções no SESARAM, na sequência de um processo disciplinar por declarações à TVI e posteriormente ao Parlamento, na comissão de inquérito ao funcinamento da unidade de Medicina Nuclear, colocou ontem mais uma informação na sua página da rede social Facebook, dando conta que não pagará mais jóia à Ordem.

“A partir de hoje, não pagarei qualquer jóia à Ordem dos Médicos enquanto não existir a alteração da “lei da rolha” inscrita nos estatutos da mesma. Perante tanta mentira, exijo a demissão desta gente, porque deveria proteger os nutentes e não faz nada, a não ser beneficiar políticas que servem a alguns amigos do orgão que dirigem. Os colegas indignados que façam o mesmo”.

Também na mesma página, Rafael Macedo tinha manifestado a sua discordância relativamente à posição da Ordem e do Bastonário, por ocasião da reunião que teve nas instalações do conselho médico da Região, à Rua Nova de São Pedro: “Como é possível o Bastonário e os seus “lacaios” recusarem-se a receber provas dizendo que eu não as tinha? Recusam-se a fazer auditorias clínicas mas queriam que eu desse processos clínicos para investigarem ou “branquearem” provas? Ainda bem que não dei os números dos processos porque mentiram à saída. Pena que alguma Comunicação Social difundiu essas declarações do Bastonário pensando que iriam validar tanta mentira. Pergunto nota: porquê não deixaram a presença da Comunicação Social durante a reunião? Não interessava? Por isso poderia dizer o que entendesse cá fora. Vergonhoso”.