“Ou vão às urgências ou vão ao privado”, denuncia a comissão de utentes que aponta falta de resposta dos Centros de Saúde

A Comissão de utentes critica a gestão do serviço de urgências.

A Comissão de Utentes do Serviço Regional de Saúde esteve hoje junto ao Hospital Dr. Nélio Mendonça para denunciar a “má gestão do serviço de urgências”. Filipe Olim diz que “a crescente procura e a dificuldade de acesso aos cuidados de saúde primários continuam a ser a causa da maior procura do serviço de urgências do hospital”.

Diz o representante da comissão que “os utentes ao não conseguirem uma resposta atempada nos Centros de Saúde, dirigem-se às urgências como último recurso. O desinvestimento na saúde causa aquilo que gostam de administrativamente apelidar de “falsas urgências”, mas os utentes não têm outra escolha, ou vão às urgências públicas a que têm direito, ou resta-lhes ir ao privado”.

Denuncia, ainda que, “neste momento temos salas de espera sem condições para o acolhimento de doentes e acompanhantes, e nalguns casos, assistimos à recusa desse acompanhamento. Podemos ver biombos improvisados a tapar os utentes perdidos pelos corredores, durante dias, sem ter local de internamento. Infelizmente, chegam-nos relatos constantes de doentes à espera horas a fio sem comer. As macas de ambulância ficam retidas nas urgências por falta de macas do hospital, o que impossibilita a saída das ambulâncias a que essas macas pertencem. Há que fazer cumprir a Carta dos Direitos e Deveres dos Utentes! É urgente um Serviço de Urgência público digno!”