Sócios do Clube Naval não chumbaram qualquer proposta da direção, alguns pontos em agenda adiados para próxima Assembleia Geral

A última Assembleia Geral do Clube Naval do Funchal decidiu apenas a aprovação do título de sócio de mérito à anterior presidente Mafalda de Freitas, sendo que os restantes pontos em agenda, envolvendo designadamente a passagem a Fundação, redução do valor da jóia e alterações ao regulamento interno, não chegaram a ser colocados à votação, pelo que a informação que nos chegou, de que teria havido chumbo de propostas, não correspondeu à realidade, de acordo com esclarecimento de fonte da direção do clube.

Não obstante a agenda definida para esta Assembleia-Geral, durante o debate verificou-se que a necessidade de um maior esclarecimento aos sócios sobre os contornos das propostas, pelo que foi decidido não levar à votação, adiando assim para uma próxima Assembleia Geral a discussão e votação dos contéudos que a direção de António Fontes defende.

O Clube Naval tem cerca de 6 mil sócios, na globalidade do clube, mais de 2 mil efetivos, com direito a voto. Nesta Assembleia-Geral, estiveram presentes cerca de seis dezenas de associados.