Alunos da APEL plantaram árvores nas serras de Santo António

A iniciativa contou com a participação de 118 alunos da APEL.

Foi com 118 alunos da APEL que Susana Prada passou, esta tarde, nas serras de Santo António, para uma ação de plantação de árvores, integrada nas comemorações do Dia Internacional das Florestas. A secretária regional do Ambiente e Recursos Naturais manifestou agrado pelo empenho dos jovens da luta contra o “aquecimento global”.

A importância da reflorestação também foi explicada pela governante com o facto de esta sequestrar CO2 da atmosfera diminuindo o aquecimento global, diminuir o risco de aluvião e aumentar as reservas de água tão necessárias.

Esta parceria com a APEL surgiu pelo facto de este estabelecimento de ensino ter inscrito esta ação de plantação na Sociedade Portuguesa de Química, como um evento celebrativo do Ano Internacional da Tabela Periódica, uma vez que o dia 21 de março, para além de assinalar o Dia Internacional das Florestas, é também o Dia do Carbono.

Assim, os 118 alunos plantaram 118 plantas, em alusão aos 118 elementos que compõem a tabela periódica.

Com esta ação de plantação, os jovens propõem-se a retirar 2,5 toneladas/ano de dióxido de carbono da atmosfera.

Esta iniciativa comemorativa conjunta, para além de sensibilizar para a importância da recuperação de um coberto vegetal indígena, nomeadamente no combate à erosão e no melhoramento das condições de aproveitamento e armazenamento da água da chuva, pretendeu destacar o papel fundamental das árvores na fixação do Carbono (CO2 atmosférico), alertando a comunidade, em especial os jovens, para a influência da vegetação na diminuição da concentração de dióxido de carbono na atmosfera.