Aquele abraço! “Noblesse oblige”!

Ilustração José Alves.

“Aquele Abraço” é uma canção do cantor e compositor brasileiro Gilberto Gil. Aquele abraço foi o que ficou do 17.º congresso do PSD-Madeira deste fim de semana.

Aquele abraço dado por Alberto João Jardim a Miguel Albuquerque. Aquele abraço dado por Cunha e Silva. Aquele abraço dado pelo PSD de 2019 ao PSD do passado. Aquele abraço dos que estavam afastados das lides partidárias activas. Aquele abraço do “jardinismo” com a “renovação”.

Aquele abraço depois de horas de catarse até às 4 da madrugada. Aquele abraço de quem sentiu necessidade de ouvir, de viva voz, o timoneiro honorário. O filho pródigo voltou. O partido sofria de orfandade.

As birras e os desafios ficaram no passado. O machado de guerra foi enterrado. Sem (aparentes) ressentimentos. “Noblesse oblige” –A necessidade obriga!

A sala abarrotou para, minutos depois, deixar clareiras na apresentação das moções sectoriais. Jardim mobiliza. Os militantes e os dirigentes sabem-no.

Aquele abraço de quem quer estar unido em ano tão decisivo. Aquele abraço dos que correm por lugares, dos que correm por prazer, dos que correm por convicção, dos que correm porque alguém os faz correr, dos que querem entrar na corrida.

Aquele abraço! Ainda que forçado pelas circunstâncias. Ainda que a contragosto. Com ar de quem exclama perante o regresso de um filho que saiu de casa a pensar que o mundo era seu: “Não basta andar, é preciso saber andar nisto!”.