Congresso do PSD-M: Moções sectoriais começaram as ser apresentadas

Fotos Rui Marote.

Começaram a ser apresentadas as seis moções setoriais levadas ao 17.º Congresso regional do PSD-Madeira.

Uma da responsabilidade da Concelhia do PSD/Funchal, que foi apresentada por Rubina Leal.

A moção do PSD/Funchal, cuja primeira subscritora é Rubina Leal, denominada “Garantir o Futuro, Honrar o presente!” defende políticas de apoio, acompanhamento e promoção das famílias; cuidar, valorizar e proteger os mais idosos; fixar, reorganizar e incentivar a reporvação dos concelhos; e rentabuilizar, congregar e incluir.

Por seu turno, foi também já apresentada a moção da ARASD (Autarcas Social-Democratas), apresentada pelo seu presidente e presidente da autarquia de Câmara de Lobos, Pedro Coelho.

A moção da ARASD denominada “+Poder Local, +Madeira” reafirma a vocação política do PSD enquanto partido do poder local e defende uma descentralização de competências efetiva sem colocar em causa a autonomia, designadamente a efetiva autonomia financeira das autarquias locais.

A eurodeputada Cláudia Monteiro de Aguiar e Paulo Neves também já apresentaram as moções de que são os primeiros subscritores.

A moção defendida pela eurodeputada Cláudia Monteiro de Aguiar, denominada “Desbloquear o potencial das Regiões Ultraperiféricas” debruça-se sobre os transportes e turismo no mercado interno; as pescas, mar e economia azul; as políticas de desenvolvimento: da coesão à política agrícola; a mobilidade europeia -Emprego, Educação, Investigação e Inovação; e a economia “verde”.

A moção subscrita pelo deputado em São Bento, Paulo Neves, denominada “A Madeira: Uma plataforma geoestratégica” defende a afirmação da Madeira enquanto plataforma geoestratégica; enquanto centro de excelência de ensino, Investigação e Pensamento Atlântico; enquanto rota marítima (GNL, cabos submarinos, etc.), potenciando o Centro Internacional de Negócios e o Registo de Navios, no fundo enquanto centro do triângulo estratégico América Latina/ Europa e África.