Administração do Marítimo SAD repudia acusações públicas e desafia os sócios e acionistas a irem às Assembleias Gerais

marítimo portimonense
Os resultados menos bons do Marítimo estão na origem de algum descontentamento entre associados do Marítimo.

O Conselho de Administração do Marítimo da Madeira Futebol SAD emitiu, hoje, um comunicado, no seu site oficial, onde em nome, também, do Club Sport Maritimo, reage às manifestações públicas de associados relativamente a aspectos internos da vida do clube, desafiando associados e acionistas a irem às Assembleias Gerais que serão convocadas brevemente.

Esta posição acontece num contexto em que, publicamente, surgiram posições de sócios sobre eventuais pedidos de auditorias relativamente à situação da SAD e do clube, envolvendo críticas ao líder Carlos Pereira e ao seu envolvimento no seio da gestão interna. Os maus resultados da equipa de futebol, que entretanto desafogou um pouco com a vitória sobre o Portimonense, também surge no centro da contestação.

Este comunicado do Marítimo SAD e do CS Marítimo diz concretamente:

1. Repudiam e negam, frontal e convictamente, as acusações publicamente feitas quanto a aspectos internos da gestão corrente da SAD e do Clube, manifestando total disponibilidade para, de forma transparente, prestar todas as informações e disponibilizar todos os elementos que os acionistas e os sócios entendam necessários e adequados ao seu cabal esclarecimento;

2. Convidam, para o efeito, todos os acionistas e sócios a comparecerem nas assembleias gerais que serão brevemente convocadas, nos termos legais e estatuários, e nelas participarem activamente na procura dos esclarecimentos a todas as questões que entendam pertinentes, da mesma forma que sempre o puderam fazer no passado e continuarão a poder fazer no futuro, às quais os órgãos sociais terão todo o gosto em responder.

3. Sublinham e reiteram o total compromisso dos órgãos sociais com o actual momento desportivo da equipa de futebol profissional, e o seu foco absoluto em lhe proporcionar a necessária tranquilidade e as condições de trabalho adequadas a ultrapassar um ciclo negativo, exortando os sócios a contribuírem para esse objectivo com o apoio incondicional e abnegado como o prestado no passado sábado e a absterem-se de condutas que em nada servem a união e sucesso do clube.