SESARAM diz que já tratou com sucesso oito casos de rotura de aneurisma intracraniano

A Unidade de Neurorradiologia do Serviço de Imagiologia do SESARAM, coordenada pelo médico neurorradiologista, José Franco, realizou, no dia 13 de Dezembro, mais uma intervenção bem-sucedida a um caso de aneurisma intracraniano diagnosticado no Serviço de Saúde de Região Autónoma da Madeira, revela o gabinete de comunicação do SESARAM.

A rotura de um aneurisma intracraniano é uma situação muito grave, que coloca em risco a vida dos doentes e deve ser tratada em tempo útil, até às 72h após o evento. Trata-se de mais um caso diagnosticado e tratado no Serviço de Saúde da RAM, refere um comunicado.

“A resposta rápida e eficaz a esta emergência envolveu vários profissionais de diferentes especialidades do SESARAM. Foi efetuada uma intervenção endovascular intracraniana, realizada por uma equipa multidisciplinar composta por 1 neurorradiologista, 1 anestesista, 1 técnico de diagnóstico e terapêutica (área da radiologia), 1 enfermeiro do laboratório de hemodinâmica, 1 enfermeiro de anestesia, com a colaboração do médico neurorradiologista, Ângelo Carneiro, do Hospital de Santo António, do Porto, que se deslocou à Região para acompanhar esta intervenção”, refere a nota às Redacções.

O tratamento endovascular dos aneurismas cerebrais permite uma abordagem terapêutica eficaz e segura, associada a baixas taxas de morbidade e de mortalidade.

Refira-se que para este tipo específico de intervenção, o SESARAM conta com a colaboração do Serviço de Neurorradiologia do Hospital de Santo António, no Porto. O neurorradiologista, Ângelo Carneiro tem sido um dos médicos que mais tem contribuído, com a sua experiência, para a realização deste tipo de intervenção na RAM.

Este ano, é já o oitavo caso que fez deslocar de imediato à RAM este neurorradiologista do continente português que, com a restante equipa multidisciplinar, procedeu à embolização do aneurisma.

Desta forma, importa sublinhar que no Serviço de Saúde da RAM, nas situações urgentes (como foi o caso), nenhum doente fica sem tratamento e os tempos de resposta adequados têm sido garantidos.

No SESARAM, os aneurismas diagnosticados são tratados pelo Serviço de Neurocirurgia, dirigido pelo neurocirurgião Pedro Lima, com intervenção cirúrgica ou pela Neurorradiologia de Intervenção, de acordo com a indicação clínica (tipo de aneurisma).

A realização destas consultas no Hospital Dr. Nélio Mendonça, evitou a deslocação destes doentes e seus acompanhantes ao continente, refere o comunicado.