A Cessação Tabágica deverá ser a sua escolha!

17 de novembro: Dia Mundial do Não Fumador.

 Caro fumador, reflita, pondere e decida mudar de hábitos!

Caro não fumador, felicito-o pela sua abstinência, mantenha-se assim!

 

tabagismo constitui a principal causa de morte evitável e um dos principais problemas de saúde pública. É responsável pela morte de aproximadamente 6 milhões de pessoas por ano, 1 pessoa a cada 6 segundos, e cerca de metade dos atuais fumadores morrerá de uma doença relacionada com o consumo do tabaco.

É urgente estabelecer medidas para reverter a epidemia do tabaco e prevenir milhões de mortes!

O consumo de tabaco, quer por tabagismo ativo, passivo ou terciário, associa-se a um elevado número de doenças, entre elas as doenças cardiovasculares, respiratórias e cancro. Estas, além de frequentes, conduzem a elevada morbilidade e mortalidade. Os benefícios para a saúde que a cessação tabágica promove são numerosos, desde os primeiros minutos após a interrupção do hábito, com diminuição importante do risco associado à maioria das doenças ligadas ao tabagismo, qualquer que seja a idade do fumador. A cessação tabágica conduz sempre a uma melhoria do estado de saúde.

A promoção de comportamentos e estilos de vida saudáveis na população deve ser encarada como uma prioridade!

Além das consequências que o tabaco condiciona na saúde dos fumadores e envolventes, os custos financeiros associados a esta dependência são estrondosos. Por exemplo, um fumador que consuma 20 cigarros por dia, gasta aproximadamente 130 euros mensalmente, 1600 euros anualmente, 8000 euros em 5 anos e 16000 euros em 10 anos.

A maioria dos fumadores quer deixar de fumar, mas não consegue devido à dependência física da nicotina e à dependência psicológica dos cigarros, que divergem entre fumadores. Os sintomas de privação são variáveis de fumador para fumador e nas diferentes tentativas de cessação tabágica. A sua resolução completa pode levar meses e o desejo de fumar pode manter-se anos, constituindo o fator mais importante para a recaída.

A eficácia dos cigarros eletrónicos e do tabaco aquecido na cessação tabágica não está provada, não sendo desta forma uma medida recomendada. Além do mais, o uso destas novas formas de consumo de tabaco está associado a riscos nocivos e dependência tabágica.

Ao fumador motivado para a cessação desse hábito deve ser fornecido aconselhamento individual por profissionais treinados em cessação tabágica.

Na consulta especializada de cessação tabágica, face a dependência do doente fumador, poderá ser feito um aconselhamento de terapêutica farmacológica, além do aconselhamento e suporte comportamental. Face às características específicas dos doentes com patologia cardiovascular, respiratória e psiquiátrica, adolescentes, grávidas e idosos, esta abordagem exige cuidados particulares.

O médico com competências especializadas em cessação tabágica é alguém treinado para fornecer suporte científico a fumadores que necessitam de ajuda para parar de fumar. Tem a capacidade de no seu plano terapêutico promover a mudança comportamental e informar sobre as vantagens dos fármacos disponíveis no tratamento desta dependência, esclarecer sobre as diferentes opções terapêuticas, de acordo com a avaliação clínica da pessoa e o uso de tabaco, fornecer informação sobre a forma de administração e possíveis efeitos secundários associados e adaptar a decisão farmacológica às preferências da pessoa. Contudo, é de realçar, que os fármacos, só por si, não resolvem a dependência; apenas facilitam a mudança de comportamentos em conjugação com a motivação do fumador.

Assistir um fumador na cessação tabágica pode implicar apoio durante várias tentativas. A maioria das recaídas ocorre nos primeiros 3 meses e metade nos 2 primeiros dias de cessação, pelo que é crucial o seguimento durante este período.

Caro fumador, já escolheu o seu primeiro dia sem tabaco?

Reflita, pondere e decida mudar de hábitos!

—–

*Nivalda Pereira

(Médica Especialista em Medicina Geral e Familiar com Formação Especializada em Cessação Tabágica e em Geriatria Clínica, a exercer funções no SESARAM, EPE, na Clínica da Sé e na Clínica Santa Luzia)