A parvovirose canina

A parvovirose canina é uma doença infecciosa grave que afeta essencialmente os cães jovens e não protegidos. Tem uma taxa de mortalidade de 75% nos cachorros não vacinados. Os Doberman Pincher, Rottweilers e cães de raças nórdicas (Huskies, Malamutes, etc.) são os mais suscetíveis á doença, sendo os animais com sintomas mais exuberantes, embora qualquer animal de qualquer raça ou cruzamento possa contrair e morrer desta doença.

A doença é provocada por um vírus da família parvoviridae: um vírus de pequenas dimensões mas que é altamente contagioso e muito resistente no meio ambiente. Trata-se de um vírus tão resistente que sobrevive mais de 6 meses no ambiente, sendo impossível de o eliminar do solo sem matar toda a sua vegetação. Para espaços interiores, lavagens profundas com lixívia são aconselhadas para os espaços habitados por animais infetados. Este vírus afeta gravemente o sistema imunitário e gastrointestinal dos cães, provocando vómitos e diarreias intensas, e frequentemente com sangue.

A perda de líquidos e nutrientes conduz a estados de desidratação e prostração grave, que poderão ser fatais se não forem rapidamente corrigidos. Os primeiros sinais da doença são depressão, perda de apetite e febre, cerca de 1 a 2 dias depois começam os vómitos e a diarreia que progressivamente começa a conter cada vez mais sangue. Estes sintomas progridem muito rapidamente para desidratação e morte em animais severamente afetados.

Os cachorros entre as 6 e as 8 semanas de idade têm a maior taxa de mortalidade. As cadelas imunizadas por vacinação passam alguns anticorpos (defesas internas) para os filhotes através do leite o que os poderá proteger durante as primeiras semanas de vida, após este período o cachorro está dependente das suas próprias defesas para combater a infeção. O vírus dissemina-se facilmente e é transmitido através de secreções corporais, sobretudo através das fezes dos animais doentes.

A infeção entre animais pode por isso ocorrer de forma direta, de cão para cão, ou indiretamente por via fecal-oral, sendo que os primeiros sintomas são vistos cerca de 4 a 14 dias após a infeção. Dado tratar-se de uma doença altamente contagiosa, os animais doentes deverão ser isolados para tratamento médico. O tratamento é prolongado, exige internamento para monitorização contínua, e consiste no controlo dos sintomas, na recuperação de um bom estado de hidratação e nutrição e antibioterapia a fim de evitar infeções secundárias e doença sistémica. A melhor forma de evitar a doença é através da vacinação dos cães.

A vacina contra a parvovirose é segura e eficaz, e faz parte do plano vacinal dos cães. Geralmente a vacinação é iniciada entre a 6ª e a 8ª semana de idade, e após a primeira vacinação, serão necessários reforços (entre a 10 e a 12ª semana de idade e uma última até às 16 semanas) para garantir uma proteção adequada contra os agentes infeciosos. Mantenha o seu animal saudável e feliz, protegendo-o de doenças evitáveis!

 

*Andreia Araújo, médica veterinária na Clínica Veterinária Santa Teresinha