Sara Madruga insiste: esquadras da PSP na Madeira estão fora do Orçamento de Estado

As esquadras da PSP (Polícia de Segurança Pública) na Madeira estão fora do Orçamento de Estado para 2019, ao contrário das esquadras dos Açores, denuncia Sara Madruga da Costa, que acusou Lisboa de tentar “enganar e ludibriar os madeirenses” com falsas promessas, após ter reunido hoje (segunda-feira) com o coordenador da ASPP/PSP – Associação Sindical dos Profissionais da Polícia.

“Em Maio [deste ano] o ministro da Administração Interna esteve na Madeira e comprometeu-se com um investimento de 3,5 milhões de euros nas esquadras da PSP na Madeira”, mas na verdade é que “este Orçamento não contempla um único cêntimo para as esquadras da PSP da Região”, sublinhou a deputada do PSD/Madeira na Assembleia da República, apontando que, porém, contempla um investimento para três esquadras da PSP nos Açores.”

O PSD frisa que tem vindo a alertar a República, nos últimos três anos, para as péssimas condições das esquadras da Região, nomeadamente a do Porto Santo, uma das piores do País, a da Ponta do Sol, onde houve uma derrocada, a da Calheta, onde chove dentro, e para as de Santa Cruz, Machico e Ribeira Brava.

A discriminação entre as Regiões Autónomas também é visível no que respeita ao número de agentes afectos à Madeira e aos Açores. “O senhor ministro dota os Açores de 40 novos efectivos, e apenas de 6 para a Madeira quando de acordo com a ASPP/PSP são necessários 50 novos agentes na Madeira”, algo que Sara Madruga da Costa não consegue compreender, uma vez que “a carência na PSP da Madeira é bem conhecida” pelo Governo Central, refere.

Outra questão com a qual os deputados sociais-democratas na Assembleia da República (AR) se têm debatido nos últimos três anos é a necessidade de consagrar um subsídio de insularidade aos agentes da PSP na Madeira. Apesar do ministro Eduardo Cabrita não ter respondido à questão, a parlamentar garante que o PSD/Madeira continuará a insistir na AR nesta reivindicação “mais do que justa”.

Para Sara Madruga da Costa, “o que podemos concluir destes três exemplos em matéria de Administração Interna na Madeira e em matéria de PSP, é que mais uma vez o Governo da República tenta enganar e ludibriar os madeirenses, ao prometer investimentos em esquadras para 2019 que não está contemplado no Orçamento, ao prometer mais efectivos da PSP e a não consagrar esse efectivo, e ao recusar-se a consagrar o subsídio de insularidade a todos os agentes da PSP da Madeira.”