Barreto explica poupança com a proposta do CDS-PP aceite pelo Governo de redução dos preços dos passes sociais

Barreto passes
Rui Barreto explica mais valias da proposta de redução dos passes sociais, que entra em vigor no próximo ano.

As poupanças com os passes sociais são muito superiores a qualquer descida das taxas de IRS e, em muitos casos, representam mais dois ordenados mínimos por ano de rendimento, por pessoa. As contas estão feitas e foram apresentadas pelo líder do CDS- PP Madeira, Rui Barreto, na manhã desta sexta-feira, durante uma ação para explicar às populações a importância da proposta da iniciativa do CDS que o governo regional já prometeu acolher para vigorar no próximo ano.

Numa nota enviada à comunicação social, refere-se que Rui Barreto, que se fez acompanhar do vice-presidente da Câmara da Ribeira Brava, Rafael Sousa, que também é dirigente local do CDS, de Sara Madalena, vereadora na Câmara da Ponta do Sol, e do deputado António Lopes da Fonseca, “acabou por surpreender as pessoas que aguardavam pela camioneta nas paragens quando lhes explicava a “extraordinária descida” no preço dos passes sociais, “graças a uma proposta que o CDS apresentou e que o governo já aceitou acomodar no Orçamento da Região do próximo ano” para corrigir “uma enorme injustiça”, fazia questão de dizer aos populares contactados.

passes_comparacao (1)“Estamos aqui na Ribeira Brava para falar da excelente proposta que foi apresentada pelo CDS e que felizmente o governo regional aceitou”, começou por referir à comunicação social. “Estou a falar da correção de uma enorme injustiça porque os passes sociais tinham valores muito elevados, mas a partir do próximo ano ficam muito mais baratos. Para que as pessoas tenham uma ideia, um ribeirabravense que vá para o Funchal paga actualmente 88,45 euros, a partir do primeiros trimestre do próximo ano pagará apenas 40 euros, o que significa uma poupança anual de 581,40 euros.” – ver quadro comparativo.

As empresas de transportes públicos de passageiros serão compensadas das diferenças pelo governo regional através do pagamento de indemnizações compensatórias, como aliás já sucede presentemente, mas o líder do CDS deixa um pedido ao executivo de Miguel Albuquerque: “As empresas vão receber menos pelo valor pago pelos utentes, isto obriga a que o governo as compense e aquilo que sugerimos é que esse pagamento seja feito a tempo e horas e no mesmo modelo que o governo está a utilizar para o passe Sub23”, anotou. “As empresas precisam de receber cedo para não terem problemas de tesouraria”, concluiu Rui Barreto.