CDS-M quer devolução de impostos aos madeirenses contemplada no Orçamento para 2019

O CDS reuniu hoje com o vice-presidente do Governo Regional para apresentar as suas propostas para a elaboração do orçamento regional para 2019. De acordo com o líder centrista, Rui Barreto, os madeirenses têm que beneficiar dos bons números da execução orçamental que este governo tem tido durante os últimos dois anos”.

“Este ano em particular, de Janeiro até Agosto, as receitas fiscais subiram 14,5 por cento, o que são mais 67 milhões do que o ano passado”, apontou. O PAEF, considerou, terminou em 2015, mas para os madeirenses, não terminou a austeridade que lhes foi imposta.

Por isso, os centristas entendem que há mais margem para devolver mais IRS aos madeirenses, e para baixar o IRC sobre as empresas, “principalmente as da costa norte e do Porto Santo”.

O CDS insistiu no passe social único, 30 euros para o concelho do Funchal e 50 euros para o resto da ilha. “Também defendemos um regime específico de contratação pública para valorizar a agricultura, para que as refeições nas escolas, nos lares, nos hospitais priorizem a aquisição de produtos regionais (…)”. O partido entende que “há reconhecimento de que estas propostas são válidas”. E espera que o Governo Regional as inclua no Orçamento.