Governo nega falta de medicamentos na farmácia do Hospital

Farmacia1Relativamente a notícias que davam conta de medicamentos em falta e tal como o presidente do Governo já tinha desmentido, esta manhã, a secretaria regional da Saúde emitiu uma nota considerando “falsa” essa informação e referindo números que Miguel Albuquerque já tinha avançado hoje, durante uma visita ao serviço de Cardiologia, que recebeu acreditação. A Região vai gastar, em 2018, 70 milhões de euros em medicamentoss, repartido pelo SESARAM e IASAÚDE.

A secretaria refere, também, que “existe uma monitorização contínua, semanal, dos stocks da farmácia, contando também com a supervisão dos profissionais; Este controlo regular permite-nos saber qual é o ponto de situação de todos os pedidos de fármacos em tramitação, isto é, todos os artigos que foram pedidos, os que aguardam resposta do fornecedor e os que não serão produzidos e fornecidos. A par destes, também é possível saber os que aguardam resposta por parte do INFARMED, uma vez que em alguns casos, existem medicamentos que para serem disponibilizados na farmácia hospitalar, necessitam de autorização especial de utilização por parte do INFARMED”.

A SRS aponta ser “importante relembrar que dentro da área dos medicamentos existem áreas muito específicas, tais como, VIH, VHC, Oncologia, Imunomoduladores, Anticorpos, entre outros que “levam” uma grande fatia do valor dos medicamentos; Importa salientar que os referenciados “stocks zero” na farmácia hospitalar não correspondem a ruturas; A prestação de cuidados de saúde à população da Região Autónoma da Madeira mantém-se nos níveis elevados de segurança e qualidade, como atestam os 13 serviços acreditados pela Direção Geral da Saúde”.