TAP – Viagem ao passado

icon-flavio-vasconcelos-opiniao-forum-fn

TAP viagem ao passado D
As imagens publicadas ao longo deste texto, representam o voo experimental, de um hidroavião antes do aeroporto, da frente do Cais em construção na década de 1930, da lancha a levar pessoas para o vapor com destino à Madeira, da passagem de passageiros do carreireiro para o lisbonense. Ou seja, o antes de haver aeroporto. Fotos DR

Hidroavião.jpg

TAP viagem ao passado BTAP aeroporto anos 60 B.jpgHá cerca de 58 anos, ainda Antonoaldo Neves não era nascido, realizava-se o voo experimental para a Ilha do Porto Santo, em Julho de 1960.

Diretor executivo atual da Transportadora Aérea Portuguesa, com uma noção um pouco destorcida das realidades das condições de mobilidade para a Madeira e Porto Santo, tem sido uma figura destaque no debate dos valores monetários implementados em território Português.

Uma coisa é certa! Tem a mesma língua que Camões, a nossa língua, mas com uma visão bem diferente de todos os Portugueses nascidos em Madeira e Porto Santo.

…era uma vez, duas ilhas, Portuguesas, com condições especiais no que concerne a Turismo que necessitavam de continuidade territorial – DE UMA MAIOR ATENÇÃO.

Porto Santo, na década de 1950 foi palco de uma obra que mudaria as condições de mobilidade e de desenvolvimento – Aeroporto do Porto Santo.

Com as obras iniciadas a 28 de Setembro de 1959, o aeroporto desta ilha Dourada foi inaugurado a 28 de Agosto de 1960, tendo sido realizado um voo experimental a 20 de Julho, do mesmo ano.

Como se de um “Porta Aviões” se tratasse, o aeroporto do Porto Santo dava resposta às necessidades da Ilha da Madeira e demais, facto esse pois só em 1964, seria inaugurado o aeroporto da ilha da Madeira, agora com o nome do melhor jogador de Futebol do Mundo, Cristiano Ronaldo.

Embora com este nome, o diretor executivo Antonoaldo Neves, parece querer fintar as nossas inteligências quando fala nas “módicas” quantias das passagens para a Madeira, que, nos vale aos Porto-santenses, uma vez existente a ponte de ligação de acesso ao Turismo a esta pequena Ilha.

TAP aeroporto anos 60

TAP viagem ao passado EPelas 11:55 horas, de 28 de Agosto de 1960, aterraria o Douglas DC-4 Skymaster, pilotado pelo comandante Amado da Cunha, proveniente de Lisboa mudaria uma ERA, que muito alegrou Porto-santenses e Madeirenses na conquista de novos tempos e de novas portas para entrada de maior desenvolvimento e pragmatismo no que respeita à rotina de todos aqueles que queriam conhecer e sair da ilha do Porto Santo.

As tarifas iniciais para todos os passageiros variavam entre 1.162$10 e 2.023$80, para ida e volta. Uma vez inaugurado o aeroporto do Funchal a 1964, as ligações entre Porto Santo e Funchal eram asseguradas da seguinte forma:

– entre o aeroporto e o cais, em autocarro ao preço de 10$00 e as passagens de barco entre o cais e o Funchal a 120$00 por passageiro, com a duração de 4 horas.

TAP Avião anos 60Porto Santo barco carreireiro

Porto Santo obras passadoO ser humano é um bicho de hábitos. Digam lá se, mesmo assim, após ERA dos carreireiros, não eram difíceis as viagens, sendo que ainda faziam viagens – CARREIREIROS.

Mais tarde, a 8 de Julho de 1964, era inaugurado o aeroporto de Santa Catarina, com o primeiro voo da TAP Lisboa – Funchal, sendo que nesta viagem seria utilizado o “Lockheed L- 1049G Super Constellation”.

Onze anos mais tarde, da inauguração do Aeroporto da ilha da Madeira, nascia o atual diretor executivo Antonoaldo Neves que, infelizmente, vem riscar e manchar aquilo que foi um trabalho árduo de todas as entidades e envolvidos na construção de infra-estruturas e condições de mobilidade para um povo que carecia de mais atenção por parte de Portugal.

A história existe e muitos foram aqueles que em décadas onde tudo era mais difícil, deixaram sua pele e seu suor em prol de melhores condições e de uma maior qualidade de vida pois, ao fim ao cabo, também somos Portugueses.

Não podemos regredir aos tempos em que só havia um aeroporto na região, por isso são necessárias vontades e maior atenção ao povo Madeirense e Porto-santense que fez e faz parte da história da Transportadora Aérea Portuguesa, e que são vários os testemunhos que comprovam isso.

Envoltos por mar, os ilhéus também estão rodeados de inteligência, resiliência e, sobretudo, de conhecimento de seus direitos num estado de direito.

Bem haja Porto-santenses, bem haja Madeirenses.
Bem haja Portugal.