PCP acusa PS, PSD e CDS de quererem “aprofundar a exploração” e a precariedade

O PCP levou hoje a cabo uma acção de contacto com a população, no centro do Funchal, para “denunciar a aliança do PS, PSD e CDS para aprofundar a exploração de quem vive da sua força de trabalho”. O dirigente comunista Ricardo Lume referiu que o Governo do PS apresentou na Assembleia da República, depois de combinar com o patronato e com a UGT, um conjunto de propostas de alteração à legislação laboral que, a serem aprovadas, “contribuiriam para agravar a exploração e legitimar a precariedade”.

Lume disse que o PSD e o CDS afirmavam, no início desta legislatura, que nunca dariam a mão ao PS, “mas sempre que se tratou de dar o seu apoio em benefício do grande capital asseguraram o voto favorável”.

O que está em causa, diz o PCP, é a legitimação da precariedade laboral; a generalização dos contratos de muito curta duração; p alargamento do período experimental de 90 para 180 dias, e a legalização do banco de horas.

As propostas do Governo da República estão ainda em debate na especialidade na Assembleia da República.

“Com a mobilização e a luta dos trabalhadores é possível derrotar estes objectivos”, exorta o PCP.