Barreto apresenta “Estatuto” na Calheta e reage a Filipe Sousa dizendo que “traíu o PS e os que o ajudaram a criar o JPP”

Barreto Calheta
Rui Barreto esteve na Calheta a apresentar o Estatuto de Agricultura Familiar, proposta que vai dar entrada na ALRAM.

Tal como o Funchal Notícias aludiu ontem, o CDS Madeira prepara-se para apresentar, na Assembleia Regional, uma proposta para a criação do Estatuto da Agricultura Familiar. Hoje Rui Barreto, líder do partido na Região, esteve na Calheta a dar conta dos pormenores hoje, acompanhado pelos autarcas locais, Martinho Câmara, vereador, Paulo Abreu, deputado municipal, Manuel Costa, presidente da Junta de Freguesia da Ponta do Pargo e Dalila Sousa, autarca na Freguesia do Estreito da Calheta.

Barreto defendeu que “este Estatuto vai criar um regime de contratação pública para priorizar e valorizar o fornecimento de produtos regionais a escolas, hospitais, Instituições Particulares de Solidariedade Social, promovendo os bons produtos regionais e possibilitando garantia de rendimento a muitas famílias”.

Aproveitou ainda, para desafiar o Sr. Vice-Presidente, Pedro Calado, que foi célere a arranjar 15 milhões em serviços de consultoria para a negociação dos juros, para que arranje o dinheiro que prometeu aos produtores de banana na sequência do mau tempo de março de 2018 que originou danos em várias explorações agrícolas.

Trambém hoje, o líder centrista respondeu ao presidente da Câmara de Santa Cruz, que tinha reagido a declarações suas sobre taxas e impostos naquele concelho. Rui Barreto diz, agora, que “o senhor Sousa, que por ora ocupa o cargo de Presidente da Câmara Municipal de Santa Cruz vem acusar o CDS, e o seu presidente em particular, de incoerência. Logo o Sr. Sousa, que foi deputado do PS, saiu por ter ficado fora das listas, traiu os partidos que o ajudaram a criar o movimento JPP, traiu a direção do PS presidida por Carlos Pereira, reunindo-se, nas costas dos militantes socialistas, com o primeiro-ministro, António Costa, e agora vem traindo os munícipes de Santa Cruz, aumentando impostos municipais quando apregoa exactamente o seu oposto. É este senhor Sousa que procura dar lições de coerência… Aquilo que, enquanto líder do CDS, desafio o Sr. Sousa a fazer é aprovar a nossa proposta para entregar mais IRS aos munícipes de Santa Cruz, à semelhança daquilo que já faz a Câmara Municipal de Santana e outras autarquias da Região. Talvez seja possível, se reduzir os pagamentos de avenças a advogados do continente. Só agindo assim é que o Sr. Sousa provará que é mais do que um político demagogo, populista e sem interesse real em resolver os problemas das populações.