Família Mendonça mantém processo em tribunal e diz que os arguidos no Monte continuam a jogar à defesa

Foto: Rui Marote

A família Mendonça, no Monte, continua com uma ação a correr trâmites no Tribunal Administrativo do Funchal porque considera que as entidades competentes, nomeadamente a Câmara Municipal do Funchal, ainda não teve a intervenção necessária no Largo da Fonte, de modo a garantir a segurança pública. Daí o recurso ao tribunal. Passado um ano, e em dia de arraial do Monte, questiona: tanto dinheiro gasto e não há ainda um único relatório?

“A única coisa que podemos garantir é que interpusemos uma ação no Tribunal Administrativo do Funchal e o que sentimos, um ano depois, foi que, as únicas condições criadas fazem parte da estratégia de defesas dos arguidos, isto é, aquilo que andaram a mexer está apenas relacionado com a defesa de quem é arguido”.

Foto: Rui Marote

Segundo o FN apurou junto da família Mendonça, que, antes do acidente do Monte, em maio de 2017, alertou para o risco público da iminente queda de outras árvores, há ainda muito por explicar: “Nós identificámos as árvores que4 necessitam de intervenção: 3 precisam de ser abatidas, uma delas é a que está, ainda, presa por um cabo de aço e mais duas, além de outras duas junta à casa que precisam de intervenção. No mais, só pretendemos saber e ter acesso aos relatórios de manutenção de inventariação das árvores para atestarmos para atestarmos do seu estado fitossanitário. Curiosamente, tantos milhares de euros gastos, mas ainda ninguém viu um único relatório sobre o estado das árvores”.