Polémica ao rubro: Pavilhão do Funchal mete água mas Pedro Calado promete obras

Foto DR.

O estado do pavilhão do Funchal em dia de jogos nacionais e internacionais de andebol está a causar revolta e perplexidade junto dos atletas e famílias, mas também nos dirigentes técnicos e profissionais do andebol, que alertaram o Funchal Notícias para a situação.

O cerne do descontentamento resume-se à falta de manutenção do piso e do telhado, infiltrações de água, sempre que chove.

A situação é de tal ordem que mereceu, ontem, a advertência do delegado da Federação Europeia da Andebol, por ocasião do jogo da 1.ª mão entre o AEK de Atenas e o Madeira Andebol SAD (O AEK venceu 29-21).

O estado precário das instalações é de tal ordem que estão já identificados, pelo menos, 12 buracos na cobertura do Pavilhão.

No dia 3 de março último, por exemplo, o jogo entre o Madeira Andebol e o Leça, da I Divisão feminina de andebol, foi transferido para o Pavilhão da Escola Bartolomeu Perestrelo. 

Na tarde de ontem, o mesmo problema a evidenciar-se perante espetadores e técnicos, agravado com a chuva. O jogo das meias finais do campeonato nacional da I  divisão feminina, Madeira SAD – Alavarium, esteve em risco de não se realizar. Felizmente parou de chover e o desporto aconteceu. Pedro Calado esteve presente nos jogos e constatou os factos. O vice-presidente foi abordado por várias pessoas que lhe deram conta da situação precária do Pavilhão, tendo o governante evidenciado vontade em resolver o problema.

No fim do jogo da SAD feminina, Pedro Calado anunciou obras de reparação do Pavilhão do Funchal, assim que terminar a época desportiva, serenando desta forma os ânimos.