Serlima vai construir unidade industrial em 2019

Serlima Calado
A criação de postos de trabalho foi o mote para a visita do vice presidente à empresa Serlima.

O vice presidente do Governo Regional explicou, hoje, que a visita à empresa madeirense Serlima, enquadra-se numa perspetiva que tem ver com a criação de postos de trabalho, enaltecendo o papel que a mesma tem evidenciado na economia da Região, com  receita fiscal para a Região.

Pedro Calado lembra tratar-se de uma empresa que faz os seus investimentos na Região, que cria postos de trabalho, é um caso de sucesso e que tem ajudado o Governo Regional, que também pretende ajudar estes empresários. Estamos convencidos que nos projetos pioneiros saberemos estar ao lado dos empresários, tendo como fim a criação de postos de trabalho.

O responsável pela Serlima na Região, João Botas, anunciou ser intenção da empresa montar uma unidade industrial de tratamento termoquímico, para tratar estrume e chorume (estrume líquido) no sentido de converter estes resíduos em combustível, que poderá ser aproveitado na incineradora da ARM (Águas e Resíduos da Madeira). O empresário explica que, se a ARM não quiser, já dispõe de um comprador internacional.

O projeto está numa fase preliminar de estudos, envolve um custo de cinco milhões de euros e deverá ser umna realidade em 2019.

O administrador geral do Grupo Serlima, João Umbelino, referiu alguns números da empresa, nomeadamente que no “pico” de 2017, empregou 4150 trabalhadores, dos quais 1600 na Madeira. Neste momento, tem 1400 trabalhadores na Madeira, esperando-se que cheguem aos 1600, 1700 no “pico” da ocupação das unidades hoteleiras. Em termos de facturação, o grupo facturou 36 milhões de euros.