Recuperação de cirugias reduz 14% da lista de espera e decorre a contratação de 11 novos médicos

URGENCIAS HOSPITAL NELIO MENDONCA
A secretaria dá conta que decorre a contratação de 11 novos médicos e haverá um concurso para dois anestesistas.

“Desde que foi iniciado, em Dezembro de 2015, o Programa de Recuperação de Cirurgias teve um impato de 14 por cento na redução na lista de espera do grupo de cirurgias elegíveis para integrar este plano, sendo considerado um instrumento que tem contribuído para a melhoria da eficiência da produção cirúrgica do Serviço de Saúde da Região. Nos próximos 4 meses serão realizadas em produção adicional (PRC) mais 900 cirurgias”.

Esta é uma parte de um esclarecimento público da secretaria regional da Saúde, onde é referido, ainda, que “o número de doentes em lista de espera para cirurgia deve-se à maior oferta de especialidades, de técnicas, de consultas, do diagnóstico cada vez mais precoce, ou seja, o SESARAM está mais capacitado e diferenciado”.

O Governo salienta, em matéria de reforço de verbas, que “tem sido possível otimizar a aplicação das verbas de ano para ano, permitindo, deste modo, abranger um maior número de cirurgias, conforme demonstram os dados de produção divulgados em https://www.sesaram.pt/infosaude/.

Aborda também as questões dos meios humanos: o corpo clínico tem sido reforçado “estando neste momento a decorrer a contratação de 11 novos médicos de diversas especialidades e mais um concurso para a entrada de 2 novos anestesistas. Recorde-se, que no ano passado, o Serviço de Saúde afetou ao seu quadro clínico 17 novos especialistas. Na área da enfermagem, desde 2015 foram contratados 157 enfermeiros, tendo o Governo Regional autorizado já este ano a abertura de concurso para 64 novos enfermeiros”.

A nota da secretaria refere que “os momentos de um serviço de saúde são dinâmicos, diferentes e dependem das condições internas existentes em cada momento analisado, assim como de variáveis sócio – demográficas externas à própria organização. Presentemente, e ao contrário dos anos anteriores, o Serviço de Saúde da Região tem um conhecimento mais rigoroso, mais transparente e por conseguinte, mais real da dinâmica das suas lista de espera, fruto de uma melhor informatização e organização destas”.