PCP propõe “grande debate sobre o litoral e a orla costeira”

O PCP realizou hoje uma conferência de imprensa, sobre aquilo que qualificou de atentados cometidos pelo Governo Regional, no litoral.

Segundo o coordenador regional do PCP, Edgar Silva, “o litoral da Região Autónoma da Madeira está sujeito a mandos e a desmandos que envergonham a democracia e descredibilizam a governação nesta Autonomia”.

Segundo o PCP, uma vez mais, devido à ausência de uma estratégia regional para o litoral e pela “gravíssima e imperdoável falta de ordenamento da orla costeira, assistimos a inúmeros casos de destruição -com elevadíssimos encargos para o erário público- em equipamentos e infraestruturas instaladas na orla costeira”.

Para o partido, “estamos perante processos que denotam a leviandade política da governação, mas em que as consequências, para além dos avultados encargos financeiros, se fazem sentir em prejuízos ecológicos e em incidências ambientais de grande alcance negativo para a nossa Região”.

O PCP revela que, “como se já não fossem suficientes os erros até agora cometidos, cresce a nossa indignação política quando se sabe que os governantes tencionam prolongar a asneira. Os crimes políticos contra o litoral, ao que tudo indica, tendem a continuar. O “serial killer” do litoral não está ainda saciado”.

Veja-se o já anunciado para a orla costeira na frente mar de São Vicente, onde o Governo Regional se prepara para esbanjar outros milhões de euros num atentado que tem o pomposo nome de “Projeto de Requalificação Urbana de São Vicente”.

Segundo o PCP, recorrendo a fundos europeus e a outras fontes de financiamento, o Governo Regional é co-responsável pelo despejo de 2,6 milhões de euros para desfigurar, mar adentro, mais um segmento do litoral.

Os comunistas consideram que “esta prática leviana não pode continuar! Não podemos permitir que, nesta Região, o litoral continue a atolar-se água abaixo, por ganância e desatino, ao sabor dos interesses de amigalhaços dos governantes e senhorios do regime”.

Para o PCP, o litoral desta Região insular é demasiado importante para que continue a ser gerido ao sabor dos persistentes vícios de ocupação e uso.

“É neste quadro, em que se colocam deveres urgentes de mobilização da cidadania e de responsabilidade política, que o PCP decide apelar à realização de um grande debate sobre o litoral e a orla costeira. Queremos que neste debate em defesa do interesse público se considerem os crimes cometidos pela governação no litoral, e que sejam assumidos compromissos quanto a medidas de salvaguarda ambiental da frente mar, do mar e da orla costeira.”