Deputados do PSD-M reuniram com associação dos lesados do Banif; estes aguardam por medidas concretas

Uma troca de opiniões, em função daquilo que foi aprovado a semana passada na Assembleia da República, relativamente às recomendações do Governo para se arranjar uma solução para os lesados do Banif. Foi com estas palavras que Jacinto Silva, da ALBOA, associação que junta precisamente os lesados do banco madeirense, definiu a reunião mantida hoje com o grupo parlamentar do PSD-Madeira.

Este responsável considerou que o primeiro passo para a resolução da situação foi dado, ressalvando que foi de uma forma praticamente unânime que os diversos partidos com assento no parlamento nacional viram a questão. É um passo “importantíssimo” a posição assumida pelo parlamento, que recomenda ao governo central que arranje uma solução para este caso. O passo seguinte será a declaração de vendas fraudulentas. Tem de haver, alertou, uma equidade entre os lesados do Banif e, por exemplo, do BES, que não podem ser tratados de forma diferente. “O BES era um banco privado, e nós somos lesados de um banco em que o Estado estava presente”, salientou Jacinto Silva, que não tem dúvidas, no entanto, de que os lesados do BES foram tratados com mais justiça do que os do Banif. “Há que credibilizar o sistema financeiro português”, considerou. Crê que o Estado tem boas intenções, mas quer ver medidas concretas.

Por sua vez, o deputado social-democrata João Paulo Marques disse, após a reunião, que tem existido uma “continuada falta de soluções” para aqueles que confiaram no Banif e no Estado e que perderam muito dinheiro, alguns deles passando hoje por verdadeiros “dramas sociais”.

João Paulo Marques acusou António Costa de ser um primeiro-ministro que, sempre que vem à Madeira, promete uma solução para os lesados, mas sublinhou que estes continuam à espera da mesma. O que é facto é que “nada foi feito pelas pessoas”. António Costa assinou a resolução do Banif e vendeu o banco, com um custo para o Estado e os contribuintes de mais de 3 mil milhões de euros, apontou. “Mas nem um cêntimo desse dinheiro chegou às mãos dos lesados”.

Do ponto de vista do PSD, afirmou, os deputados estão empenhados nos trabalhos da comissão de inquérito ao Banif e estão “decididos a produzir um relatório final que impeça que situações destas se voltem a repetir em Portugal”.

Por outro lado, os social-democratas dizem que já apresentaram um projecto de resolução na Assembleia da República que garante uma solução “prática, eficaz e justa para os lesados”.